Economia Passos sugere que Marcelo se pronuncie sobre anúncios do Governo em vésperas de eleições

Passos sugere que Marcelo se pronuncie sobre anúncios do Governo em vésperas de eleições

O líder do PSD sugeriu que talvez seja importante que o Presidente da República fale sobre anúncios feitos pelo Governo em vésperas de eleições autárquicas, acusando o Executivo socialista de violar o seu dever de neutralidade.
Passos sugere que Marcelo se pronuncie sobre anúncios do Governo em vésperas de eleições
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 05 de setembro de 2017 às 22:49

Falando aos jornalistas na Fundação Champalimaud, esta terça-feira em Lisboa, o presidente do PSD rejeitou que as dúvidas lançadas hoje pelos social-democratas sobre a utilização e destino dos donativos entregues pelos cidadãos às vítimas do incêndio de Junho passado em Pedrogão Grande, distrito de Leiria, sejam encaradas como "guerrilha partidária" ou campanha antes das eleições autárquicas de 1 de Outubro próximo.

 

"Face às notícias que têm vindo a público, o PSD decidiu solicitar um esclarecimento cabal por parte do Governo dessa situação, mas não vou repisar essa situação", começou por justificar Pedro Passos Coelho.

 

Depois, confrontado com o apelo do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para que não haja guerrilha partidária em torno da questão dos donativos destinados às vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, Pedro Passos Coelho respondeu: "Não conheço as declarações do senhor Presidente da República, mas não há guerrilha partidária nenhuma à volta desta matéria".

 

Segundo o líder social-democrata, Portugal tem "uma sociedade madura, sendo suposto o Governo gerir com transparência estas matérias".

 

"Havendo dúvidas, é absolutamente natural que elas sejam colocadas e cabe ao Governo explicá-las. O facto de haver eleições não significa que o Governo deva deixar de explicar ao país aquilo que faz", completou.

 

Neste contexto, o presidente do PSD deixou então um recado ao chefe de Estado, apontando que em vésperas de eleições autárquicas o executivo socialista "não se cansa de fazer anúncios que, do ponto de vista político, contendem com o dever de neutralidade e de isenção do Governo no acto eleitoral".

 

"Talvez o senhor Presidente da República possa dizer alguma coisa sobre essa matéria. Isso sim, isso seria importante, numa democracia como a nossa, que o Governo se abstivesse todos os dias de fazer anúncios que violam o seu dever de imparcialidade e de neutralidade", sustentou.

 

Ainda em relação à utilização e destino dos donativos dos cidadãos para as vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, Pedro Passos Coelho insistiu que "cabe ao Governo dar as devidas explicações aos portugueses".

 

"Quando o Governo avançou em Conselho de Ministros com uma disposição sobre esta matéria, aprovou que haveria de ficar sob a sua responsabilidade a gestão de uma parte dos donativos privados, integrando depois uma parte pública também. É sobre isso que tem de dar explicações e não sobre aquilo que não está à sua guarda", acrescentou o presidente do PSD.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

O Passos tem razão, só peca por falar tarde. O "Manchetes 3" da RTP é uma vegonha(tudo xuxas) deveria ser suspenso até às eleições. Resquícios Sócrates.

Pocilga de Suinos Domesticos Há 2 semanas

Palavras para que....Um porco sera sempre um porco mais gravata menos gravata. E naquela pocilga ate os leitoes, graudos....parecem mais crescidinhos

pub
pub
pub
pub