Orçamento do Estado Passos Coelho admite condição de recursos nas pensões mínimas

Passos Coelho admite condição de recursos nas pensões mínimas

O presidente do PSD admitiu debater com o Governo a aplicação da condição de recursos em apoios sociais como as pensões do regime não contributivo e apresentar proposta de alteração ao Orçamento do Estado para 2017.
Passos Coelho admite condição de recursos nas pensões mínimas
Miguel Baltazar
Lusa 21 de Outubro de 2016 às 07:50

"É justo que se possa ir alargando a introdução de condição de recursos para tudo o que são prestações", defendeu Pedro Passos Coelho numa entrevista ao jornal Público, publicada hoje, apesar de considerar que "o PS não tem uma transparência muito grande quando fala destas matérias". Por isso, disse que ficará a "aguardar por aquilo que é a verdadeira intenção do Governo".

 

O líder social-democrata alertou, contudo, que existe "um problema de sustentabilidade no sistema social", pelo que não se poderão "fazer as coisas aos remendos".

 

Esta disponibilidade do PSD surge numa altura em que o Governo admite avançar com a aplicação da condição de recursos para o acesso às pensões mínimas no orçamento para 2018.

 

Na entrevista, o anterior primeiro-ministro avançou com a possibilidade de o PSD apresentar propostas de alteração ao orçamento de 2017, ao contrário do que fez no debate do ano passado.

 

"Iremos também definir, com clareza, que espaço é que pode existir para apresentarmos propostas dentro deste orçamento. Não excluí essa possibilidade", adiantou.

 

Passos excluiu, contudo, a hipótese de o PSD entrar naquilo a que chamou a "mercearia orçamental".

 

"Não vamos andar a fazer propostas avulsas, sobe aqui, desde ali", acentuou, voltando a classificar a proposta do Governo como "um mau orçamento" que, "apesar de aparentemente cumprir os objectivos de redução do défice, não tem uma estratégia de crescimento para o país".

 

Na entrevista ao Público, o presidente do PSD sustentou que "sem dúvida que o país já saiu da emergência", que significa ter necessidades para as quais não existem recursos.

 

Passos Coelho reafirmou que "o Governo foi desastroso a lidar com os problemas do sistema financeiro", alertando que a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos pode gerar problemas noutros bancos.

 

"Se o Governo decidir provisionar em excesso na Caixa, pode abrir um problema com consequências muito sérias noutros bancos. Julgo que a forma como o Governo está a tratar esta matéria não é de molde a salvaguardar a estabilidade", considerou.

 

O líder social-democrata afirmou ainda não entender porque tem havido "um coro muito grande de opiniões" a elogiar o que tem sido feito no sistema financeiro.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana


Por favor deixe governar quem sabe, o sr, já disse que não quer apresentar alternativas ao orçamento 2017, como tal cale-se e desapareça...

porque os portugueses, QUE QUEREM VIVER À CUSTA DOS OUTROS, não gostam de si.

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana


PS ROUBA A VIDA A 500.000 TRABALHADORES

O SOCRATES GATUNO endividou o país até à bancarrota, para pagar salários e pensões da FP…

Lançando 500.000 trabalhadores no desemprego!

Anónimo Há 1 semana

NÃO MINTAS MAIS Q O NARIZ CADA VEZ ESTÁ MAIOR-

Anónimo Há 1 semana


Por favor deixe governar quem sabe, o sr, já disse que não quer apresentar alternativas ao orçamento 2017, como tal cale-se e desapareça...

porque os portugueses, QUE QUEREM VIVER À CUSTA DOS OUTROS, não gostam de si.

Anónimo Há 1 semana

Velho nojento.

pub
pub
pub
pub