Eleições Passos Coelho reconhece que não é "noite de festa" para o PSD

Passos Coelho reconhece que não é "noite de festa" para o PSD

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, reconheceu que para o seu partido hoje não é uma "noite de festa eleitoral", depois de o PS ter voltado a conquistar maioria absoluta nas eleições regionais dos Açores.
Passos Coelho reconhece que não é "noite de festa" para o PSD
Lusa 17 de Outubro de 2016 às 00:41
"Lamento que hoje não seja para o PSD uma noite de festa eleitoral", afirmou Pedro Passos Coelho, numa declaração aos jornalistas na sede nacional dos sociais-democratas, em Lisboa.

Segundo os resultados totais provisórios, o PS conquistou hoje nova maioria absoluta nas eleições regionais dos Açores, ao conseguir eleger 30 deputados do total de 57 parlamentares da Assembleia Legislativa Regional. O PSD conquistou 19 deputados, o CDS-PP quatro, o BE dois e o PCP-PEV e o PPM um deputado cada.

Nas últimas eleições, em 2012, o PSD tinha conquistado 20 deputados.

Numa declaração sem direito a perguntas, o líder do PSD admitiu que os açorianos "escolheram a continuidade" e cumprimentou o PS, quer em termos nacionais, quer em termos regionais.

Ao líder regional do PSD/Açores, Passos Coelho deixou igualmente um cumprimento, sublinhando que, apesar dos resultados, Duarte Freitas "mostrou uma grande capacidade para poder comunicar nos Açores a posição do PSD e a sua vontade de mudar".

"Mas, democraticamente devemos reconhecer que essa não foi a vontade expressa dos açorianos", acrescentou Passos Coelho, assegurando que, de qualquer forma, o PSD/Açores continuará a lutar por uma região com "mais desenvolvimento económico, com mais emprego, com mais bem-estar", porque é preciso "ter os olhos postos no futuro".

"O PSD continua a ser um grande partido de implantação regional, que acredita na autonomia regional e que, com certeza, se irá bater todos os dias pela melhoria das condições de vida dos açorianos e por um futuro melhor para os Açores", vincou.

Passos Coelho deixou ainda uma nota sobre a "abstenção muito elevada" (59,1%), considerando que "é uma abstenção que responsabiliza todos, quem ganha e quem perde".

O resultado alcançado esta noite pelo PSD nos Açores foi o segundo pior desde 1976, ano em que os Açores passaram a ser uma região autónoma com órgãos de governo próprios.

Em 1976 venceu o PSD, liderado por Mota Amaral, que se manteve no poder durante 19 anos, até 1995. Seguiu-se-lhe Madruga da Costa (um ano).

Em 1996, o socialista Carlos César ganhou as eleições, vitória que repetiu em 2000, 2004 e 2008.

Foi em 2008 que o PSD obteve o pior resultado, com 30,27% dos votos, elegendo 18 deputados.

Em 2012, outro socialista, Vasco Cordeiro, manteve a região sob liderança do PS e igualou os anos no poder do PSD.

Nessas eleições, o PS conquistou 31 dos 57 lugares e o PSD 20. O CDS-PP garantiu três deputados e BE, PCP e PPM um mandato cada.

Duarte Freitas assume derrota mas sem demissão

O líder do PSD/Açores assumiu a derrota eleitoral, num sufrágio em que o PS voltou a obter maioria absoluta, destacando que o PSD irá continuar a defender os seus ideais no parlamento e na sociedade.

"Em democracia quem elege mais deputados vence. O PS foi o partido mais votado no ato eleitoral e é o partido vencedor destas eleições", disse Duarte Freitas, na sede do PSD/Açores em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, numa declaração sem direito a perguntas dos jornalistas proferida às 21:20 locais (mais uma hora em Lisboa).

Na sua declaração, Duarte Freitas nunca se referiu a uma eventual demissão da liderança do partido e durante a campanha eleitoral referiu sempre que qualquer que fosse o resultado do sufrágio, não se afastaria do cargo.

O PSD, o maior partido na oposição no arquipélago, conquistou 19 dos 57 mandatos para o parlamento regional, quando no sufrágio de 2012 elegeu 20 deputados.

Duarte Freitas, que disse já ter falado telefonicamente com o líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, referiu que "hoje a palavra é daqueles que votaram", acrescentando que o PSD estará no parlamento, no partido, na sociedade civil e ilha a ilha a "defender uma plataforma política e social que combata o desemprego e melhore a educação e a saúde".

"Agora vamos continuar a lutar na Assembleia, no partido e na sociedade civil. Apresentaremos sempre propostas que melhorem qualidade de vida dos açorianos", salientou o eleito pelo círculo de São Miguel, que saudou a eleição dos 57 deputados de todos os partidos.

Duarte Freitas, 50 anos e natural da ilha do Pico, é o sétimo líder do PSD/Açores em 40 anos de autonomia, tendo sido eleito em Dezembro de 2012, com 92,6%, depois da demissão da ex-líder Berta Cabral, que perdeu as eleições legislativas regionais de 2012 para o PS.

Em Setembro, o candidato do PSD a presidente do Governo dos Açores disse, em entrevista à agência Lusa, que a questão da sua demissão não se colocava se perdesse as eleições regionais, nas quais concorre por São Miguel.

"Isso é uma questão que não se coloca. Em primeiro lugar, porque eu, desde o primeiro momento, disse que em 2016, ganhando ou perdendo as eleições, continuaria candidato a presidente do PSD/Açores", afirmou Duarte Freitas na ocasião.



A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


Por favor deixe governar quem sabe, o sr, já disse que não tem que ter, ou apresentar alternativas ao orçamento 2017, como tal cale-se e desapareça...

porque os portugueses QUE QUEREM VIVER À CUSTA DOS OUTROS, não gostam de si.

comentários mais recentes
Ant Almeida Há 3 semanas

Zombie

Desaparece esterco mentiroso Há 3 semanas

Arranja outro esquema tecnoformico seu pulha.

Ana Fernandes Há 3 semanas

....ainda não percebeu que as pessoas estão fartas dele....cansaram-se dos despeitosa, discursos e da figura triste de ressabiado

André Montenegro Há 3 semanas

Este ressabiado ainda não percebeu, que ninguém quer saber do que ele diz!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub