Orçamento do Estado Passos diz que propostas do PSD visarão o crescimento económico

Passos diz que propostas do PSD visarão o crescimento económico

O presidente do PSD disse hoje, em Santarém, que as propostas que o partido apresentará para o Orçamento do Estado de 2017 visarão matérias relacionadas com o investimento e a sustentabilidade das finanças públicas e da segurança social.
Passos diz que propostas do PSD visarão o crescimento económico
Miguel Baltazar
Lusa 23 de Outubro de 2016 às 21:21

Pedro Passos Coelho, que falava aos jornalistas durante uma visita ao Festival Nacional de Gastronomia, que decorre em Santarém até 1 de Novembro, reafirmou que os contributos do partido para o Orçamento do Estado (OE), que "a seu tempo acabarão por ser públicos", incidem sobre "aspectos mais estruturais", visando a atracção de investimento e o crescimento económico do país.

 

Para Passos Coelho, "não será uma grande novidade" que o OE, negociado pelo Governo com os partidos que sustentam a maioria, irá ser aprovado, o que, "desse ponto de vista, não defrauda a expectativa do país".

 

"Não é de estranhar que quer o Partido Comunista, quer o Bloco de Esquerda venham a assegurar voto favorável ao Orçamento. Também não é surpresa para ninguém que o PSD tem uma leitura muito negativa sobre este Orçamento", declarou, insistindo que o documento "não tem uma estratégia de crescimento para a economia portuguesa".

 

Questionado sobre a introdução das condições de recurso para futuras pensões solidárias, Passos Coelho afirmou considerar "justo que as prestações possam ser preferencialmente atribuídas a quem delas realmente precisa".

 

Contudo, reafirmou que uma reforma da segurança social não deve ser "uma manta de retalhos" ou "um conjunto de ideias avulsas", apelando a que o Governo mostre "abertura para encarar um processo de reforma estrutural".

 

Passos Coelho remeteu para o primeiro-ministro, António Costa, a resposta à pergunta sobre se a introdução de critérios das condições de recursos mais rígidos não irão deixar de fora pessoas que precisam das pensões mínimas para sobreviver.

 

"Acho muito curioso que ninguém lhe faça essa pergunta, porque foi ele que veio falar nisto e fazia parte do programa eleitoral do PS", afirmou, declarando ter ele próprio "muita curiosidade em saber o que o Governo pensa sobre isso".

 

A proposta de lei do Governo socialista tem discussão e votação na generalidade agendada para as sessões plenárias de 3 e 4 de Novembro, seguindo-se o processo de debate em sede de especialidade até à votação final global, novamente no hemiciclo de São Bento, a 29 de Novembro.

 

A iniciativa do BE, intitulada "Que Orçamento do Estado para Portugal?", reuniu cerca de 400 pessoas, segundo a organização, e contou com a presença, entre outros 44 oradores, do porta-voz do PS, João Galamba, e do militante comunista e ex-deputado do PCP Eugénio Rosa.




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana


Por favor deixe governar quem sabe...

porque os portugueses QUE QUEREM VIVER À CUSTA DOS OUTROS, não gostam de si.

Palhaço Há 1 semana

És um palhaço

Jorge Alves Há 1 semana

https://www.youtube.com/watch?v=1UfgVVcpSE8

José Ribeiro Há 1 semana

toda a esquerda se uniu na defesa do regime corporativo, que nos levou o país a três bancarrota e a suportar todas as consequências, e esse regime que servia os interesses instados, estava a ser quebrado por o governo anterior e por isso esta esquerda passou por cima do voto dos eleitores e assaltou o poder por essa união de deputados de esquerda.

ver mais comentários
pub