Passos: "Não era preciso Seguro falar com o Presidente, sabemos quais são os problemas"
10 Maio 2012, 21:07 por António Larguesa | alarguesa@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
0
O primeiro-ministro mostrou-se satisfeito pela "abertura ao diálogo2 demonstrada hoje em Belém pelo secretário-geral do PS.
À margem de uma visita à BA Vidros, uma das maiores exportadoras nacionais com sede em Avintes (Gaia), Passos Coelho sublinhou que "o secretário-geral do PS manifestou toda a abertura para o diálogo".

Questionado sobre um eventual desconforto pelo facto do líder da oposição ter ido falar directamente com Cavaco Silva, o chefe do Governo respondeu que "não é preciso o secretário-geral do PS ir falar com o Presidente da República dos problemas do País".

"Nós sabemos quais são os problemas do País", acrescentou, depois de resumir as condições de entendimento social que têm beneficiado Portugal no plano externo.

"Tem havido um relacionamento normal com a oposição e com o Parlamento, que tem permitido exibir uma imagem externa de consenso", resumiu, lembrando ainda o acordo tripartida na concertação social.

Passos recuou mesmo quase um ano para recordar que, quando o anterior governo solicitou assistência financeira, o PSD que já liderava na oposição "juntou-se a esse pedido, tal como o CDS".

Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags:
alertasPor palavra-chave: