Economia Paula Brito e Costa, ex-presidente da Raríssimas: “Merecia um pedido de desculpas do país”

Paula Brito e Costa, ex-presidente da Raríssimas: “Merecia um pedido de desculpas do país”

Os vestidos caros eram “para ir à rainha” e as gambas, a que é “alérgica”, foram servidas a diplomatas porque teria sido mais caro “levá-los ao Gambrinus”. Paula Brito e Costa está triste com os portugueses: “Merecia um pedido de desculpas do país”, disse ao "Expresso".
Paula Brito e Costa, ex-presidente da Raríssimas: “Merecia um pedido de desculpas do país”
Paula Brito e Costa, ex-presidente da Raríssimas
Negócios com Lusa 16 de dezembro de 2017 às 10:21

Em entrevista ao semanário "Expresso", publicada este sábado, 16 de Dezembro, Paula Brito e Costa reafirma que pediu uma auditoria externa à consultora PKF, que originou o afastamento da vice-presidente, Joaquina Teixeira, tendo sido entregue o relatório ao Ministério Público a 27 de Julho deste ano.

 

A ex-presidente da Raríssimas refere que informou o ministro da Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, dos resultados da auditoria.

 

"Fui ter com ele, levei a auditoria e contei toda a história. Foi uma reunião longa, fez-me muitas perguntas e acabou por responder que só faltava fazer uma coisa: entregar o relatório da auditoria às autoridades competentes. Foi o que fizemos", afirmou, na entrevista ao semanário.

 

Sobre esta denúncia, o Expresso adianta que "os serviços de inspecção e de fiscalização da Segurança Social não foram informados pelo ministro".

 

Paula Brito e Costa garante que Vieira da Silva não foi pago pela Raríssimas, referindo que "não tem uma areia onde se lhe toque sobre este caso".

 

"É uma das pessoas com a maior integridade que já vi na minha vida", defendeu.

 

Paula Brito e Costa disse ainda que descobriu "a única fraude que existiu" na associação Raríssimas, salientando que estão envolvidos "centenas de milhares de euros".

 

Sobre o processo no Ministério Público, a ex-presidente refere que "ainda ninguém foi ouvido".

 

"Pensámos em colocar o caso nos jornais em Agosto, mas preferimos resguardar a Raríssimas. Eles decidiram agora jogar por antecipação e retaliaram. Uns roubam verdadeiramente e eu, que comprei uns camarões para uns diplomatas, sou crucificada na praça pública", desabafou.

 

Os vestidos caros eram "para ir à rainha" e as gambas, a que é "alérgica", foram servidas a diplomatas porque teria sido mais caro "levá-los ao Gambrinus".

 

E manifestou-se triste com os portugueses: "Merecia um pedido de desculpas do país."




A sua opinião98
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 16.12.2017

Quem mexe sem supervisão e sem contraditório no dinheiro de uma mesma organização durante uma vida inteira, com o decorrer do tempo, acaba por adquirir novos vícios ou arranjar forma de colocar em prática vícios inatos bem antigos que por ventura nunca passaram de sonhos. A tecnologia, a boa gestão de recursos humanos, a dinamização do mercado de capitais e a flexibilidade do mercado laboral têm resposta para este problema. Não é a burocracia, a ditadura do proletariado com direitos inusitados que captura as organizações e o Estado, nem o sobreemprego eleitoralista.

comentários mais recentes
Tentando Perceber a Política 02.01.2018

Não sei a verdade, mas por as notícias, o Presidente fica Mal na Fotografia, a pressa de marcar presença, de dizer alguma coisa é má conselheira, ele já não é Comentador, devia Respeitar a Dignidade do lugar que ocupa, agora estão pior, é ? Diga agora alguma coisa.

sapolo 18.12.2017

olha lá minha megera , e a embalagem de presunto fatiado e o 1 queijo de cabra também era para alguma recepção ?
Ganha vergonha na cara e desampara a loja que já vais tarde , nenhum adjectivo menos próprio serviria para te descrever...sêr execrável!!!

Mr.Tuga 18.12.2017

A vitimização habitual cá na pocilga da Europa!

Vamos ter um "Sócrates" de saias....

Paiz-eco malhoso 18.12.2017

A escumalha tuga no seu melhor, ainda bem que o Anibal das medalhas ja esta na Cuelha, casa contrario ja estava a ser medalhada, pelos ilustres roubos que nos fazem estes ciganos e Cigana da porca desta Paula que rarissimas vezes faz os negocios de pernas Abertas.Ele a com cada puita!!!!

ver mais comentários
pub