Segurança Social Paula Brito e Costa suspensa da presidência da Raríssimas por "ilícito laboral"

Paula Brito e Costa suspensa da presidência da Raríssimas por "ilícito laboral"

A direcção da Raríssimas determinou hoje a "suspensão preventiva por 30 dias", com efeitos imediatos, de Paula Brito da Costa, do cargo de directora-geral da associação, por indícios de "ilícito laboral".
Paula Brito e Costa suspensa da presidência da Raríssimas por "ilícito laboral"
Lusa 20 de dezembro de 2017 às 19:32
A decisão foi avançada pela vogal da direcção, Marta Balula, numa declaração aos jornalistas sem direito a perguntas, efectuada à porta da Casa dos Marcos, onde Paula Brito da Costa - ex-presidente da Raríssimas, tendo apresentado em 14 de Dezembro a demissão desse cargo que acumulava - esteve hoje até pouco depois das 17:00.

Paula Brito da Costa saiu da Casa dos Marcos pelas 17:15, onde pela manhã se apresentou para trabalhar, motivando protestos dos funcionários.

A até agora directora-geral da Raríssimas saiu a conduzir uma viatura e tinha ao lado do marido, que escondeu completamente a cara com o capuz de um casaco.

Os trabalhadores que hoje se concentraram à porta da Casa dos Marcos em protesto pela presença da ex-presidente estiveram reunidos com uma comissão nomeada pela restante direcção da Raríssimas.

Em causa estão as condições financeiras a instituição depois da demissão de Paula Brito da Costa do cargo de presidente cujas contas bancárias ainda estão inacessíveis, facto que, segundo dizem, prejudica a gestão financeira.

Uma investigação da TVI mostrou documentos que colocam em causa a gestão da instituição de solidariedade social, nomeadamente de Paula Brito da Costa, que alegadamente terá usado o dinheiro para diversos gastos pessoais.

O caso já provocou a demissão do secretário de Estado da saúde Manuel Delgado, que em 2013 e 2014 foi consultor da Raríssimas, com um vencimento de três mil euros por mês, tendo recebido um total de 63 mil euros.



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
eduardo santos Há 3 semanas

ISTO SIM --- Esta mulher é que sabe manobrar os políticos de modo admirabel----vejam como todos sabem que ela abusa do que não é dela, mas......nenhum tem cara para a deter . Grande mulher so lhe falta é queixar-se de a terem violado.

Ventura Santos Há 3 semanas

O Manel só recebeu 63000 ?! Mas a Paula tinha dito que ia custar 200000 ! Como estavam na parada, será que recebeu pela porta do cavalo ?! Ou a Paula pagou-lhe em géneros ?! Vá lá Manel, declara o resto ao fisco para não seres apanhado à CR7 !

SUSPENSA ? MEU DEUS, TIREM-ME DESTE PAÍS ! Há 3 semanas

SUSPENSA ?
SÓ ?

Invicta Há 3 semanas

"Ilícito laboral". E os outros, não contam?

Saber mais e Alertas
pub