Justiça Paulo Cafôfo constituído arguido no caso da queda da árvore no Funchal

Paulo Cafôfo constituído arguido no caso da queda da árvore no Funchal

O presidente da Câmara do Funchal, Paulo Cafôfo, foi constituído arguido no caso que envolve a queda de uma árvore de grande porte na freguesia do Monte, em Agosto do ano passado, e que provocou 13 mortos.
Paulo Cafôfo constituído arguido no caso da queda da árvore no Funchal
Rui Silva Aspress
Negócios 04 de janeiro de 2018 às 16:28
O presidente da Câmara do Funchal, Paulo Cafôfo, a vereadora do Ambiente, Idalina Perestrelo, e um funcionário da autarquia foram constituídos arguidos no âmbito do inquérito à queda da árvore na freguesia do Monte, avança o Expresso. A árvore caiu a 15 de Agosto no Largo da Fonte, em cima de uma multidão que aguardava a saída da procissão da Nossa Senhora do Monte, durante aquele que é considerado o maior arraial da região.

O Negócios tentou confirmar oficialmente esta informação junto do autarca, mas tal não se revelou possível.

Este incidente provocou a morte a 13 pessoas e feriu 49. O Ministério Público decidiu instaurar um inquérito à queda da árvore. Na altura, a câmara do Funchal e a Paróquia de Nossa Senhora do Monte negavam ser responsáveis pela posse do carvalho que caiu sobre a multidão. O município afirmou que a árvore estava instalada em terrenos da referida paróquia.

Na sequência da tragédia foram decretados três dias de luto regional e o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deslocou-se ao local.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Dono dos Burros Há 2 semanas

Se tivesse mandado cortar a árvore, as bichas, panascas, gays e outras doenças, ladravam e miavam. O homem era levado a julgamento pelo MP. Assim vai a julgamento na mesma. Que m++++ de sociedade esta.