Justiça Paulo Lalanda de Castro detido na Alemanha

Paulo Lalanda de Castro detido na Alemanha

O presidente demissionário da Octapharma foi detido na Alemanha, avança a TVI24.
Paulo Lalanda de Castro detido na Alemanha
Paulo Lalanda de Castro, numa reunião da Octapharma em que participou José Sócrates e o ministro da saúde do Brasil.
Negócios 15 de Dezembro de 2016 às 11:28

Paulo Lalanda de Castro (ao lado esquerdo de José Sócrates), que ontem apresentou a sua demissão da Octapharma, foi detido na Alemanha, no âmbito da investigação da venda de sangue, revela a TVI24.

 

O responsável é suspeito de corrupção activa, adianta a estação de televisão.

"A Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, e com a colaboração das autoridades alemãs, procedeu à detenção de um ex-administrador de uma empresa farmacêutica", de acordo com um comunicado emitido entretanto.

"O detido está a ser presente às autoridades judiciais daquele país a fim de validarem a detenção e decidirem da entrega às autoridades portuguesas", acrescenta o mesmo comunicado.

Paulo Lalanda de Castro apresentou ao conselho de administração da Octapharma a demissão de todas as funções que desempenha na empresa, o que foi aceite, anunciou a farmacêutica, em comunicado, na quarta-feira à noite.

A detenção de Lalanda de Castro, que já se viu envolvido na Operação Marquês e na Operação Vistos Gold, surge no âmbito da investigação da Unidade de Combate à Corrupção da PJ e do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, que investiga factos susceptíveis de se enquadrarem na prática de corrupção activa e passiva, recebimento indevido de vantagem e branqueamento de capitais.

 

Foram realizadas mais de 30 buscas em estabelecimentos oficiais relacionados com a saúde, incluindo o Ministério e o INEM, duas buscas em escritórios e locais de trabalho de advogados e outras em território suíço.

 

No âmbito deste processo já foi detido Luis Cunha Ribeiro, ex-presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS)

Além do médico, foram também constituídos arguidos dois advogados, um dos quais sócio da PLMJ, por alegadamente terem ajudado a justificar verbas oriundas da corrupção, diz o Público esta quinta-feira. 

(Notícia actualizada às 12:41 com comunicado da PJ)




A sua opinião17
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 dias


Os ladrões de esquerda

A MALTA DA BANCARROTA II (O REGRESSO)

Com a eleição de Costa, regressam em peso à direção do PS, os responsáveis pela bancarrota de 2011 (só falta mesmo o padrinho Sócrates, que comanda tudo nos bastidores).

comentários mais recentes
pertinaz Há 2 dias

REDE DE CORRUPÇÃO XUXALISTA


A ESCUMALHA DA ESQUERDALHA CANALHA ESTÁ CALADA

Anónimo Há 2 dias

Não entendo pq se gasta t dinhº em buscas tribunais etc. Predem-se 2 dias só p dizer q a justiça funciona?
Q se predam a sério e n a fazer d conta. Prende-los e confiscarem-lhes os bens a favor do estado.
Dias lourei Oliveira Marts Salgado Duarte Lima Socateiro etc. TUDO LIVRE. CRIME COMPENSA

Carlos Dos Santos Há 2 dias

Bandidos.

Carlos Ramos Há 2 dias

Gatunos pulhas

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub