Justiça Paulo Lalanda de Castro detido na Alemanha

Paulo Lalanda de Castro detido na Alemanha

O presidente demissionário da Octapharma foi detido na Alemanha, avança a TVI24.
Paulo Lalanda de Castro detido na Alemanha
Paulo Lalanda de Castro, numa reunião da Octapharma em que participou José Sócrates e o ministro da saúde do Brasil.
Negócios 15 de dezembro de 2016 às 11:28

Paulo Lalanda de Castro (ao lado esquerdo de José Sócrates), que ontem apresentou a sua demissão da Octapharma, foi detido na Alemanha, no âmbito da investigação da venda de sangue, revela a TVI24.

 

O responsável é suspeito de corrupção activa, adianta a estação de televisão.

"A Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, e com a colaboração das autoridades alemãs, procedeu à detenção de um ex-administrador de uma empresa farmacêutica", de acordo com um comunicado emitido entretanto.

"O detido está a ser presente às autoridades judiciais daquele país a fim de validarem a detenção e decidirem da entrega às autoridades portuguesas", acrescenta o mesmo comunicado.

Paulo Lalanda de Castro apresentou ao conselho de administração da Octapharma a demissão de todas as funções que desempenha na empresa, o que foi aceite, anunciou a farmacêutica, em comunicado, na quarta-feira à noite.

A detenção de Lalanda de Castro, que já se viu envolvido na Operação Marquês e na Operação Vistos Gold, surge no âmbito da investigação da Unidade de Combate à Corrupção da PJ e do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, que investiga factos susceptíveis de se enquadrarem na prática de corrupção activa e passiva, recebimento indevido de vantagem e branqueamento de capitais.

 

Foram realizadas mais de 30 buscas em estabelecimentos oficiais relacionados com a saúde, incluindo o Ministério e o INEM, duas buscas em escritórios e locais de trabalho de advogados e outras em território suíço.

 

No âmbito deste processo já foi detido Luis Cunha Ribeiro, ex-presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS)

Além do médico, foram também constituídos arguidos dois advogados, um dos quais sócio da PLMJ, por alegadamente terem ajudado a justificar verbas oriundas da corrupção, diz o Público esta quinta-feira. 

(Notícia actualizada às 12:41 com comunicado da PJ)




A sua opinião17
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 15.12.2016


Os ladrões de esquerda

A MALTA DA BANCARROTA II (O REGRESSO)

Com a eleição de Costa, regressam em peso à direção do PS, os responsáveis pela bancarrota de 2011 (só falta mesmo o padrinho Sócrates, que comanda tudo nos bastidores).

comentários mais recentes
pertinaz 16.12.2016

REDE DE CORRUPÇÃO XUXALISTA


A ESCUMALHA DA ESQUERDALHA CANALHA ESTÁ CALADA

Anónimo 15.12.2016

Não entendo pq se gasta t dinhº em buscas tribunais etc. Predem-se 2 dias só p dizer q a justiça funciona?
Q se predam a sério e n a fazer d conta. Prende-los e confiscarem-lhes os bens a favor do estado.
Dias lourei Oliveira Marts Salgado Duarte Lima Socateiro etc. TUDO LIVRE. CRIME COMPENSA

Carlos Dos Santos 15.12.2016

Bandidos.

Carlos Ramos 15.12.2016

Gatunos pulhas

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub