Política PCP anuncia projecto-lei para repor indemnizações por despedimento sem justa causa

PCP anuncia projecto-lei para repor indemnizações por despedimento sem justa causa

O secretário-geral do PCP anunciou este domingo que o partido vai apresentar no parlamento um projecto-lei para a reposição dos valores das indemnizações devidas aos trabalhadores vítimas de despedimento sem justa causa.
PCP anuncia projecto-lei para repor indemnizações por despedimento sem justa causa
Lusa 24 de setembro de 2017 às 15:46

"Avançaremos já, nos próximos dias, na Assembleia da República, com um projecto-lei que visa repor os valores devidos por indemnização em caso despedimento sem justa causa, que o governo anterior reduziu drasticamente", prometeu Jerónimo de Sousa.

 

O líder do PCP discursava perante militantes e activistas num almoço-comício autárquico da CDU, que junta comunistas, ecologistas e independentes, em Aveiras de Cima, Azambuja. "Com as alterações introduzidas por essa maioria de desastre (PSD/CDS-PP), os patrões viram facilitado, em muito, os despedimentos dos trabalhadores, já que eram poupados em milhares e milhares de euros", lamentou.

 

Defendendo a necessidade de potenciar a produção nacional e "inverter o rumo desastroso a que PSD e CDS sujeitaram o país, nos últimos quatro anos", Jerónimo de Sousa comentou os recentes dados positivos da economia portuguesa.

 

"Os últimos indicadores revelam um crescimento económico a tocar nos 3%, que é importante do ponto de vista da recuperação económica do país que, lembre-se, parte de um patamar do PIB [Produto Interno Bruto] muito baixo", referiu.

 

Porém, alertou: "mas esse crescimento é de certa forma limitado pelos desequilíbrios que a economia revela - com o aumento do consumo, do investimento e das exportações têm aumentado também significativamente as importações".

 

"É preciso apoiar o aparelho produtivo e a produção. É preciso substituir importações pela produção nacional para permitir que este crescimento deixe de ser um elemento apenas de passagem, mas seja um elemento que se consolide no futuro", afirmou.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 3 semanas

Nesse aspecto concordo. Devem ser fortemente punidos e desencorajados. Não sei o que é que pode levar a um despedimento SEM JUSTA CAUSA de um trabalhador a não ser uma exibição patológica e nazi de poder que não é admissível numa sociedade civilizada, até porque gera uma perturbação em todos os trabalhadores - nenhum está livre de o seu chefe um dia acordar ressabiado porque a mulher lhe disse que estava com dor de cabeça - o que além de ser incivilizado é também um factor negativo no funcionamento das empresas.

comentários mais recentes
JCG Há 3 semanas

Nesse aspecto concordo. Devem ser fortemente punidos e desencorajados. Não sei o que é que pode levar a um despedimento SEM JUSTA CAUSA de um trabalhador a não ser uma exibição patológica e nazi de poder que não é admissível numa sociedade civilizada, até porque gera uma perturbação em todos os trabalhadores - nenhum está livre de o seu chefe um dia acordar ressabiado porque a mulher lhe disse que estava com dor de cabeça - o que além de ser incivilizado é também um factor negativo no funcionamento das empresas.

Esquerda =Lixo Há 3 semanas

E trabalhar ? Nunca ouço estes palermas de esquerda a falar em trabalhar...
Cambada de chulos.

pub