Economia PCP, BE e PAN tentam repor 25 dias de férias e até 28 para função pública

PCP, BE e PAN tentam repor 25 dias de férias e até 28 para função pública

Comunistas e bloquistas e o deputado único do PAN defendem na quinta-feira o direito a 25 dias de férias para todos os trabalhadores, incluindo o sector privado, além da majoração até 28 em função da idade de funcionários públicos.
PCP, BE e PAN tentam repor 25 dias de férias e até 28 para função pública
Bruno Simão
Lusa 25 de janeiro de 2017 às 10:24

Contudo, os projectos de lei devem ser rejeitados na sexta-feira no parlamento, aquando das votações, à semelhança da passada semana, na qual o parlamento rejeitou iniciativas de PEV e PAN para que a terça-feira de Carnaval fosse feriado nacional obrigatório, com os votos contra de PS, PSD e CDS.

 

As iniciativas de PCP e BE vão no sentido de devolver o regime de férias na função pública e no Código Geral do Trabalho, ambos alterados durante a vigência do memorando de entendimento para o Programa de Assistência Económico-Financeiro (PAEF) com a "troika" (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional), que reduziu os dias de férias a 22 úteis.

 

Na administração pública estão ainda em causa as majorações em função da idade, que vigoraram até 2014: mais um dia entre os 39 e os 49 anos, 27 até o trabalhador completar 59 e 28 a partir dos 59 anos de idade, bem como mais um dia útil de férias por cada 10 anos de serviço efectivamente prestado.

 

Os projectos de lei do PAN apontam para o reconhecimento do direito a 25 dias úteis de férias, tanto no sector público como no privado.

 

Cada bancada parlamentar disporá de cinco minutos para intervenções, enquanto o parlamentar do PAN, André Silva, terá três minutos para defender as suas iniciativas.

 




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
matita42 Há 2 dias

Estes partidos radicais de esquerda só pensam em regalias, alguem ouviu palavras de incentivo à produtividade? Se a economia não melhorar todas as regalias vão dar em falências, será tão difícil ver isso?

Anónimo Há 2 dias

E lavar o cu com água de azeitonas aos FP, não quererão também? Fosca-se que isto já ultrapassa todo o imaginário... deixem vir as próximas eleições (brevemente)? e vão ter a resposta a estas propostas tresloucadas...

Pj Há 2 dias

Tirando os ciganos,
Pergunto eu,Há alguém concorda com esta medida e que dei a cara?

Camponio da beira Há 2 dias

O nosso problema não são 3 dias a mais de ferias. A justiça é o maior emprergador da europa e não funciona.Temos a energia e combustiveis mais caros do mundo, também por causa dos impostos, e com a corrupção desaparece tudo.Burocracia, f.publicos a mais, impostos, corrupção, e é a nossa sina.

ver mais comentários
pub