Economia PCP diz que Portugal não pode estar dependente das agências de "rating"

PCP diz que Portugal não pode estar dependente das agências de "rating"

O deputado do PCP Paulo Sá disse esta sexta-feira que Portugal não pode estar dependente das agências de 'rating' para tomar as opções necessárias para o país e para os portugueses.
PCP diz que Portugal não pode estar dependente das agências de "rating"
Bruno Simão/Negócios
Lusa 15 de setembro de 2017 às 22:44

"O PCP entende que Portugal não pode estar dependente das agências de 'rating' para tomar as suas opções e deve apostar na produção nacional, na criação de emprego, na melhoria dos serviços públicos, na melhoria em geral das condições de vida dos portugueses, independentemente das classificações que as agências de 'rating' entendam atribuir a Portugal", disse aos jornalistas o parlamentar comunista em Silves, no Algarve.

 

Paulo Sá reagia assim à decisão da agência de notação financeira Standard and Poor's (S&P) que tirou hoje Portugal do 'lixo', revendo em alta o 'rating' atribuído à dívida soberana portuguesa de 'BB+' para 'BBB-', um primeiro nível de investimento.

 

Com esta revisão em alta para 'BBB-', com perspectiva 'estável', Portugal volta a ter uma notação de investimento, atribuída por uma das três principais agências de 'rating' mundiais.

 

Desde 2012 que a agência atribuía à dívida soberana portuguesa um rating 'BB+', a nota mais elevada de não investimento, com uma perspectiva 'estável'.

 

Paulo Sá frisou que Portugal não pode estar dependente "dos humores ou dos estados de espírito das agências e, muito menos, estar dependente dessas agências e das suas dinâmicas especulativas".

 

"Independentemente das classificações que esta ou outra agência de 'rating' venham a atribuir a Portugal, o PCP continuará a bater-se, nomeadamente no próximo Orçamento de Estado, para que Portugal faça opções necessárias para o país e para os portugueses", concluiu o deputado comunista que está a acompanhar o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa na apresentação dos candidatos autárquicos do concelho de Silves.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Skizy Há 4 dias

E tambem nao pode estar dependente do PCP!

comentários mais recentes
Anónimo Há 4 dias

Jerónimo é um alto funcionário público, vive em Portugal mas tem a cabeça na Coreia, senão não dizia tamanho disparate. Portugal é um país capitalista e tem de seguir as regras do capitalismo e quem não estiver bem Coreia.

carlos.moreira.904750 Há 4 dias

Portugal só pode estar na dependencia da Inter e seus acólitos para todos os fretes. O quanto melhor pior e a ditadura dos avençados empregados do PCP tem de ser mantida com toda a muralha de aço.
Se pudessem já éramos os aliados da Coreia do Norte e até lançavamos os mísseis para a Base das Lages...

JCG Há 4 dias

Já não consigo ouvir estes tipos. E o chefe deles cada vez mais fala como um bispo ou um chefe de seita.

Bom, isso é como um filho dizer que não liga puto ao que os pais lhe dizem e, todavia, continuar a precisar que os pais lhe financiem a boa vida.

Nós só podemos mandar essas agências para a p.q.a.p. depois de conseguirmos alcançar um saldo positivo, elevado e sustentável, na balança externa, especialmente na BTC. A partir desse ponto é que podemos começar a levantar a voz a credores. Até lá é melhor piar fino.

Skizy Há 4 dias

E tambem nao pode estar dependente do PCP!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub