Saúde PCP e BE propõem fim das cativações em organismos da Saúde

PCP e BE propõem fim das cativações em organismos da Saúde

O PCP e o BE propuseram hoje o fim das cativações a vários organismos da saúde, como a Direcção Geral da Saúde ou o INEM, segundo as propostas de alterações ao Orçamento do Estado para 2018.
PCP e BE propõem fim das cativações em organismos da Saúde
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 17 de novembro de 2017 às 22:19
As propostas foram entregues hoje, último dia para os partidos apresentarem as suas sugestões ao Orçamento do Estado para 2018, que foi apresentado a 13 de Outubro.

O PCP propõe que sejam excluídas das cativações "as dotações destinadas ao Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências, ao Instituto Nacional de Emergência Médica e à Direcção-Geral de Saúde".

No mesmo sentido, o BE propõe o fim das cativações à Direcção Geral da Saúde, ao Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências, ao Instituto Nacional de Emergência Médica e ao Serviço de Utilização Comum dos Hospitais.

O Bloco justifica a medida dando o exemplo do Plano de Actividades para 2017 da DGS, segundo o qual "o orçamento desta direcção geral foi cativado em cerca de 21%, portanto, mais de seis milhões de euros, o que tem impacto na prossecução, aplicação e funcionamento dos programas prioritários".

"As cativações foram aplicadas no agrupamento de aquisição de bens e serviços, mas também no agrupamento de pessoal e nas transferências para organismos fora do perímetro da administração pública", prossegue o partido.

Os bloquistas consideram que, "para o melhor funcionamento da área da Saúde, para melhorar a prestação de cuidados de saúde à população, desenvolver os programas prioritários e aumentar a resposta, por exemplo, na área da redução de riscos e minimização de danos, é necessário descativar as políticas de saúde".



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi um fanático ultra neoliberal: "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/ Os norte americanos podem dizer: "Obrigado Obama", do mesmo modo que os portugueses podem dizer: "Obrigado troika".

comentários mais recentes
pertinaz Há 3 semanas

HIPÓCRATAS ASSASSINOS...!!!

Anónimo Há 3 semanas

Para estes casos a morte súbita era um alivio para democracia tipo ocidental.Pena de morte again.

Anónimo Há 3 semanas

Como o Estado flagelado pelo mais inútil excedentarismo sindicalizado de carreira e o mais injustificável sobrepagamento não dispõe de meios aéreos de suporte, pessoas inocentes são cravejadas de tiros na via pública. Como o Estado flagelado pelo mais inútil excedentarismo sindicalizado de carreira e o mais injustificável sobrepagamento não tem meios aéreos de suporte ou meios de limpeza de mancha verde altamente inflamável, pessoas morrem carbonizadas na via pública. Como o Estado flagelado pelo mais inútil excedentarismo sindicalizado de carreira e o mais injustificável sobrepagamento não equipa o sistema de saúde com equipamentos modernos, pessoas vão aos hospitais para morrer. Como o Estado flagelado pelo mais inútil excedentarismo sindicalizado de carreira e o mais injustificável sobrepagamento não dispõe de equipamentos de alarme, identificação, protecção e vigilância de edifícios, pessoas na via pública podem roubar até armas que são do Estado.

Anónimo Há 3 semanas

Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi um fanático ultra neoliberal: "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/ Os norte americanos podem dizer: "Obrigado Obama", do mesmo modo que os portugueses podem dizer: "Obrigado troika".

Saber mais e Alertas
pub