Política PCP exclui entendimento pré-eleitoral com PS, mas abre porta ao diálogo

PCP exclui entendimento pré-eleitoral com PS, mas abre porta ao diálogo

Ao Expresso, os comunistas consideram que o compromisso escrito que foi assinado com o Partido Socialista "é uma solução que não é repetível" e afastam entendimentos antes das próximas eleições com o PS.
PCP exclui entendimento pré-eleitoral com PS, mas abre porta ao diálogo
Bruno Simão
Negócios 25 de novembro de 2017 às 10:55

Nas próximas eleições "não é preciso uma posição conjunta," defende Jerónimo de Sousa em entrevista ao Expresso (acesso pago). No entanto, o líder comunista deixa em aberto diálogo com o PS depois das eleições de 2019. A dúvida, ressalta, é com que programa se apresentarão os socialistas.

Sobre os dois anos de governo do PS com apoio do PCP e do BE - que este sábado se assinalam -, diz que os arrependimentos com a geringonça dentro do partido não têm "expressão", mas que há entre as bases alguma "tristeza" em relação às autárquicas.

"Não temos nenhum arrependimento das posições que tomámos e pelo que conseguimos avançar," diz Jerónimo de Sousa, que garante que o resultado das autárquicas - em que a CDU perdeu várias câmaras para o PS, algumas emblemáticas - não alterou o "comportamento e perspectiva" do partido.

Sobre a contagem do tempo de serviço dos professores para efeitos de descongelamento de carreira, diz que ninguém entenderia que o tempo de trabalho não viesse a ser todo contado, admitindo no entanto, tendo em conta os montantes envolvidos, um faseamento no tempo e o modo de consideração. E que continua a confiar na palavra do primeiro-ministro nesta matéria.

O líder comunista diz ainda que António Costa não percebeu o "sentido exacto do drama" dos incêndios dos últimos meses e que era preciso que o Governo tivesse tido uma resposta mais eficaz.

Já em relação ao Bloco de Esquerda, afirma que o BE tenta "meter a bandeirinha" em algumas conquistas que não são suas e diz que o PCP nunca tenta "pôr ovos em ninho alheio".




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Marita Bastos Há 2 semanas

Espero que o PS não faça qualquer acordo com o ARRUACEIRO PCP, apoiado pelo BE.
CHEGA DE GERINGONÇA ANÁRQUICA!
Eu até estava a gostar da solução governativa apoiada pelo PCP e BE, mas...ao perder autarquias, o PCP enveredou pelas GREVES e PANDEMÓNIO nas ruas, com o aval do BE.

QUE É QUE ACHAS, JERÓNIMO ? GOSTARÍAMOS DE TE OUVI Há 2 semanas

Oh Jerónimo, o q é que achas da ética de um Partido, q defende, publicamente, o tirano da Venezuela, q condena milhões de pessoas à fome e à falta de liberdade, assim como canta loas à dinastia criminosa da Coreia do Norte e que branqueia outro criminoso de milhões de pessoas de nome ESTALINE ?

eles querem mesmo é ter poleiro e influência! Há 2 semanas

E que tal uma fusão com o largo do rato? Já que agora só servem mesmo para serem muletas dos ratos! A extinção deste partido errático também podia ser uma boa alternativa visto que não acrescentam absolutamente nada ao País.

Vade Retro ! Há 2 semanas

Na verdade, o PCP, como "compagnon de route", q só pensa, demagógica e irresponsavelmente, em distribuir, distribuir, distribuir, distribuir, À CONTA DAS ALGIBEIRAS DE CADA UM DE NÓS, CONTRIBUINTES, como se o país tivesse descoberto uma mina de ouro inesgotável, o melhor q faz é caminhar sozinho

Saber mais e Alertas
pub