Política PCP: Prisões na Catalunha são "inaceitável manifestação de intolerância anti-democrática"

PCP: Prisões na Catalunha são "inaceitável manifestação de intolerância anti-democrática"

O PCP critica fortemente o governo de Madrid por estar a "sufocar justos sentimentos de identidade nacional e reforçar posições centralistas autoritárias".
PCP: Prisões na Catalunha são "inaceitável manifestação de intolerância anti-democrática"
Pedro Elias
Negócios 03 de novembro de 2017 às 15:06

A decisão da Audiência Nacional em decretar prisão preventiva para oito antigos membros do Governo da Catalunha foi alvo de fortes críticas do Partido Comunista Português (PCP), que "considera que tais medidas constituem uma inaceitável manifestação de intolerância anti-democrática que em nada contribui para a solução da complexa questão nacional de Espanha, antes tende a complicá-la e a agravá-la".

 

"O PCP expressa a sua preocupação quanto à instrumentalização da questão catalã para, uma vez mais, sufocar justos sentimentos de identidade nacional e reforçar posições centralistas autoritárias tão do gosto do grande capital espanhol", acrescenta o comunicado enviado pelo gabinete de imprensa do PCP, criticando a "escalada de factos consumados e a ausência de uma solução política democrática tende a escamotear as graves consequências sociais da política do governo de Madrid dirigido pelo PP assim como do governo catalão".

 

A juíza Carmen Lamela da Audiência Nacional deu provimento ao pedido apresentado pela Procuradoria-Geral da Espanha e decretou prisão "incondicional" ao ex-vice-presidente da Generalitat, Oriol Junqueras, e aos antigos conselheiros (ministros) Jordi Turull, Raúl Romeva, Josep Rull, Joaqeim Forn, Meritxell Borrás, Carles Mundó e Dolors Bassa.

 

No mesmo comunicado, o partido liderado por Jerónimo de Sousa também critica a posição assumida pelo Governo português, que não reconheceu a declaração de independência e apoio a unidade de Espanha.

 

"O PCP considera necessário que, no respeito pela Constituição da República Portuguesa, os orgãos de soberania de Portugal de modo algum acompanhem e alimentem, como lamentavelmente o governo assumiu, qualquer deriva autoritária do governo e do Estado

Espanhol", refere a nota dos comunistas.




pub