Emprego PEC: UGT recusa assinar adenda se CGTP não subscrever acordo de concertação

PEC: UGT recusa assinar adenda se CGTP não subscrever acordo de concertação

"Nós estamos sempre sentados à mesa [das negociações], mas não vamos discutir o aditamento se a CGTP não assinar o acordo de concertação social," afirmou o secretário-geral da UGT, Carlos Silva.
A carregar o vídeo ...
Lusa 27 de janeiro de 2017 às 15:08
A UGT apoia a alternativa do Governo ao chumbo da TSU, que prevê a redução do Pagamento Especial por Conta (PEC), mas avisa que não assinará a adenda ao acordo de concertação social se a CGTP não o assinar.

A CGTP manifestou na quinta-feira a intenção de participar na discussão da adenda ao acordo de concertação social, relativa à redução do PEC, que considera positiva, mas não pretende aderir ao acordo por rejeitar parte do seu conteúdo.

Hoje, o secretário-geral da UGT, Carlos Silva, disse em conferência de imprensa, em Lisboa, que a UGT "está satisfeita" com a proposta alternativa do Governo, mas avisou: "Nós estamos sempre sentados à mesa [das negociações], mas não vamos discutir o aditamento se a CGTP não assinar o acordo de concertação social".

Questionado sobre se a CGTP quiser entrar na negociação da adenda sem assinar o acordo de concertação social, Carlos Silva reforçou a posição: "Não estaremos [na mesa das negociações], nem assinaremos qualquer aditamento".

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou uma redução de 100 euros no PEC para todas as empresas sujeitas ao seu pagamento já a partir de Março e até 1 de Janeiro de 2019.

A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
É assim mesmo UGT 28.01.2017

Carlos Silva mostra que és Homem e não um bandalho do partido comunista.

Anónimo 27.01.2017

A CGTP está em pânico com o número de pessoas que abandonaram os pagamentos para gente que quer boa vida e nada faz na vida. Nogueira, esse exemplo de bom malandro, conseguiu que os professores abandonassem em massa a Fenprof, 1.º com o acordo do "somos todos bons" e depois com o abandono dos professores mais velhos que querem aposentação como outros profissionais e Nogueira assobia para o lado e vai recebendo o valor da quota. Tenham vergonha! Vão trabalhar!

Anónimo 27.01.2017


Ladrões FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

SALÁRIO MÉDIO DOS PROFESSORES PORTUGUESES É O 3.º MAIS ALTO DA EUROPA, EM 2015 (antes da reposição de salários dos FP).

"No caso dos docentes com salários mais altos, em que o rendimento dos docentes é superior ao PIB per capita, Portugal aparece em destaque como o terceiro país com salários mais elevados da Europa.”

Relatório Eurydice.

pertinaz 27.01.2017

ORA ORA

SERÁ QUE A UGT ALINHA PELA ESTRATÉGIA DO PASSOS COELHO ???

CANSARAM-SE DE SER SEMPRE A MULETA DISPONÍVEL PARA TUDO...

CARREGUEM !!!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub