Economia Pedrógão Grande: Cruz Vermelha financia construção de casas com 400 mil euros

Pedrógão Grande: Cruz Vermelha financia construção de casas com 400 mil euros

Num montante de quase 400 mil euros, a Cruz Vermelha vai financiar a construção total de cinco habitações no concelho de Pedrógão Grande.
Pedrógão Grande: Cruz Vermelha financia construção de casas com 400 mil euros
Vítor Mota/Correio da Manhã
Lusa 16 de janeiro de 2018 às 15:54
A Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) vai financiar a construção de cinco primeiras habitações destruídas nos incêndios de Junho de 2017, no concelho de Pedrógão Grande, segundo um protocolo firmado com aquele município do distrito de Leiria na segunda-feira.

De acordo o sítio na Internet da CVP, esta organização compromete-se a financiar "a construção total de cinco primeiras habitações, no valor total de 389.780,45 euros".

À agência Lusa, a CVP adiantou que as habitações localizam-se nas três freguesias do município - Graça, Pedrógão Grande e Vila Facaia -, estando a conclusão prevista para 17 de Junho de 2018, precisamente um ano depois da eclosão dos incêndios.

Já na sexta-feira, o município assinou outro protocolo, agora com o Centro de Apoio Social e Associativo Comendador José Ferreira, sediado no Luxemburgo, entidade que se comprometeu a financiar na totalidade as obras de construção parcial de cinco habitações até ao limite de 20.997,49 euros.

Segundo uma nota de imprensa hoje enviada pela autarquia presidida por Valdemar Alves, aquele valor é "fruto da mobilização dos emigrantes portugueses no Luxemburgo e de algumas empresas de portugueses também sediadas naquele país, através de donativos, e da realização de eventos".

O incêndio que deflagrou em 17 de Junho de 2017 em Pedrógão Grande e alastrou a concelhos vizinhos fez 66 mortos e 253 feridos, sete dos quais graves, destruiu meio milhar de casas e quase 50 empresas.

Quarenta e sete das vítimas mortais seguiam naquele dia em viaturas e ficaram cercadas pelas chamas na estrada nacional 236-1, entre Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos ou nos acessos a esta via.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 16.01.2018

Em Agosto de 2005 a minha aldeia a 4 km de Coimbra foi totalmente fustigada pelo fogo com destruição de casas, alfaias agrícolas e tudo o que era o sustento dessas famílias. A única diferença é que felizmente ninguém morreu. Todos ficaram entregues à sua sorte sem ajudas. Onde está a coerência?

Johnny 16.01.2018

Alguem me constrói uma casa para mim por favor ? Que ainda estou pior que os dos incêndios que já tiveram casa, e eu nunca tive

pub