Política Pedrógão: PS critica pressa do PSD, CDS, PCP e BE em aprovar lei para acelerar indemnizações

Pedrógão: PS critica pressa do PSD, CDS, PCP e BE em aprovar lei para acelerar indemnizações

Quando se chegar "à fase indemnizatória, é necessário um quadro jurídico claro e de fácil aplicação", concluiu o deputado, levantando dúvidas quanto às garantias de recurso de uma decisão pela comissão proposta pela direita e PCP.
Pedrógão: PS critica pressa do PSD, CDS, PCP e BE em aprovar lei para acelerar indemnizações
Reuters
Lusa 01 de agosto de 2017 às 14:52

O PS criticou hoje a pressa do PSD, CDS-PP, PCP e BE para aprovar o projecto de lei para acelerar as indemnizações das vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande, afirmando não ter "objecções de princípio" ao diploma.

 

"Não há nenhuma objecção de princípio, nem há nenhuma razão para obstar à aprovação do projecto. Pretendemos que o seja com as necessárias salvaguardas, para ser um diploma com qualidade", afirmou Pedro Delgado Alves, deputado do PS, em declarações aos jornalistas, no parlamento.

 

Pedro Delgado Alves recusou, contudo, entrar em concorrência com os outros partidos, nomeadamente o PSD, considerando "algo inexplicável" que se queira aprovar a lei quando o parlamento está encerrado para férias.

 

"Não se trata de estar em concorrência com os outros partidos sobre quem mais rapidamente dá uma resposta ou não", disse Delgado Alves, sublinhando que as "famílias estão a ser apoiadas através dos meios de apoio imediato".

 

Quando se chegar "à fase indemnizatória, é necessário um quadro jurídico claro e de fácil aplicação", concluiu o deputado, levantando dúvidas quanto às garantias de recurso de uma decisão pela comissão proposta pela direita e PCP.

 

Para Delgado Alves, é "um bocadinho incompreensível" e "inexplicável" que no meio da pausa entre sessões legislativas, num momento em que não há actividade parlamentar, "sabendo-se que a Assembleia vai retomar a questão em Setembro, sabendo-se que se aguarda o resultado" da comissão técnica independente, sugerida pelo PSD, surja "agora esta necessidade imperiosa, a 01 de agosto" de aprovar a lei.

 

Os socialistas defendem que uma lei deste tipo deve ser feita com tempo e que é necessário fazer audições, como a do Conselho Superior de Magistratura, que deverá indicar o presidente da comissão responsável por fixar as indemnizações.

 

Depois de ultrapassadas essas dúvidas, o PS, garantiu, "não tem nenhuma objecção de princípio" ao disposto no projecto, cuja discussão deverá ser retomada em Setembro.

 

PSD, CDS-PP e PCP acordaram, em Julho, a aprovação de um projecto de lei para acelerar as indemnizações das vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande,

 

O diploma foi aprovado, na generalidade, com o apoio do BE em 19 de Julho, e a abstenção do PS e do PAN.

 

Hoje, o DN noticou, em manchete, que os partidos vão retomar o assunto em Setembro, na reabertura da Assembleia da República, após o período de férias, com a discussão na especialidade e votação final global.

 

O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no dia 17 de Junho, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos e só foi dado como extinto uma semana depois.

 

Os prejuízos directos dos incêndios ascendem a 193,3 milhões de euros, estimando-se em 303,5 milhões o investimento em medidas de prevenção e relançamento da economia.

 

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta, o equivalente a cerca de 75 mil campos de futebol. O fogo chegou ainda aos distritos de Castelo Branco, através da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra e Penela.

 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Os mercenários dos incêndios a que devem pagar ? Há 3 semanas

O mato não arde sem lhe deitar o fogo,e o resto são tretas.A direi-talha sabe que é assim mas por hipocrisia faz festa da vergonha.Empresas privadas para apagar fogos é entregar o negócio ás raposas que é um lobo do cavaquismo zé paga para negócios sujos. E não falam do fundo do problema,hipócresia

Realmente, só faltava ver mais isto. Há 3 semanas

invenção de mortos, de suicídios e de gente que vê na miséria alheia a oportunidade de fazer (baixa) politica e até de ganhar algum. As doações, estão dispersados, por entidades diversas o que foi um erro crasso e de difícil controle. A quem queira já indemnizações de outros incêndios.
Rico negócio

Que ranhoso este PS Há 3 semanas

Os 13 milhões que foram doados são das pessoas atingidas pela tragédia, não são do PS.
Ouviram seus execráveis, a falta de vergonha desta gentinha não tem limites.

pub
pub
pub
pub