Justiça Penhoras de contas bancárias próximas dos mil milhões de euros

Penhoras de contas bancárias próximas dos mil milhões de euros

Em quatro anos, desde que o instrumento foi criado, foram realizadas quase 320 mil penhoras electrónicas de contas bancárias. Em 2017 o valor penhorado atingiu já os 208 milhões de euros, escreve o Diário de Notícias.
Penhoras de contas bancárias próximas dos mil milhões de euros
Negócios 22 de novembro de 2017 às 09:33

Só em 2017 o número de penhoras electrónicas de contas bancárias está já acima das 50 mil, tendo sido recuperados desta forma cerca de 208 milhões de dívidas em atraso e que foram executadas. Os números são da ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução e são avançados esta quarta-feira, 22 de Novembro pelo Diário de Notícias.

 

Segundo o jornal, em pouco mais de quatro anos - desde que este instrumento das penhoras electrónicas de contas bancárias foi criado - foram já recuperados para os credores cerca de mil milhões de euros.

 

A OSAE revela que o valor tem vindo a aumentar todos os anos e que em 2017 está já acima da média anual de 197 milhões. A razão, afirma o bastonário, José Carlos Resende, tem a ver essencialmente com a recuperação da economia e com o facto de as famílias terem agora mais capacidade para cumprir os seus compromissos, mesmo quando se atrasam nos pagamentos.

 

Por outro lado, salienta o responsável, os agentes de execução - que são quem faz as penhoras - passaram a ter novas regras que os obrigaram, nomeadamente, a ter de observar um limite anual máximo de processos. E só depois de os concluírem é que podem receber novos processos. Uma limitação que terá contribuído para que o trabalho fosse acelerado, sendo que as penhoras de contas bancárias são a forma mais rápida e expedita de recuperar dívidas em atraso.




Saber mais e Alertas
pub