Economia Pensões atribuídas este ano terão pequenos acertos

Pensões atribuídas este ano terão pequenos acertos

O Governo vai pagar retroactivos aos pensionistas que se reformaram este ano, mas o processo de recálculo das pensões não terá um impacto "relevante", garante o Governo.
Pensões atribuídas este ano terão pequenos acertos
Bloomberg
Catarina Almeida Pereira 07 de Outubro de 2016 às 22:11

As pensões de invalidez e velhice da Segurança Social e da CGA atribuídas desde Janeiro vão ser alvo até ao final do ano de ajustamentos que implicarão pagamentos retroactivos, mas que não alteram de forma significativa o valor das pensões.

 

Os esclarecimentos foram prestados em resposta ao Negócios por fonte oficial da Segurança Social, na sequência da publicação de uma portaria que prevê o recálculo das pensões, esta sexta-feira.

 

"A Portaria 26/2016 hoje publicada em D.R. determina os valores dos coeficientes a utilizar na actualização das remunerações de referência que servem de base de cálculo das pensões de invalidez e velhice do sistema previdencial e das pensões de aposentação, reforma e invalidez do regime de protecção social convergente" que, tal como previsto na lei, só é publicada depois dos indicadores definitivos da evolução de preços e ganhos subjacentes às contribuições declaradas à Segurança Social.

 

"Nos termos da legislação em vigor serão recalculadas as "novas" pensões de velhice e de invalidez do Regime Geral de Segurança Social, bem como todas as pensões de aposentação, reforma e invalidez do regime de protecção social convergente, ou seja, pensões com data de início desde 1 de Janeiro deste ano", explica fonte oficial.

 

"É estimado que o recálculo e pagamento de retroactivos ocorra, quer na Segurança Social, quer na CGA, até ao final do ano de 2016 (Novembro ou Dezembro)", sublinha a mesma fonte. Contudo, "não resultam da revalorização salarial impactos relevantes no valor das pensões", acrescenta.

 

A portaria hoje publicada determina de que forma devem ser valorizadas as remunerações recebidas ao longo dos anos de descontos, para efeitos de cálculo do valor das pensões.

 

O Negócios perguntou qual o número de pensionistas e o valor orçamental envolvido mas não obteve resposta a estas questões.

 







A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 08.10.2016


PS . BE . PCP são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.

Eu sou um merda de esquerdalho 08.10.2016

Como esquerdalho convicto, acho que este governo devia aumentar todas as reformas 1 cêntimo por mês, com muita publicidade, e ao fim do ano aplicar pela calada uma taxa de 1€ . Os palerminhas andavam contentes o ano todo e não notavam que ficavam a perder. Resultado: mais votos para os esquerdalhos.

Juca 08.10.2016

Acho bem! A reforma que era de 219,00€ com os ajustes passou a 207,70€. Depois com taxas e subtaxas passou a 203,10€. Agora para os acertos deve passar a 203,00€.

Anónimo 07.10.2016

Por falar em RECALCOS,ouvi dizer que o BURROterres foi para a freguesia da chachina algures na cidade da borga dar aulas de matematica a alunos do 12 ano.Quem nao se lembra quando ele estava a individar o pais fizeram-lhe um pergunta simplissima de matematica ele ficou sem fala,nem os olhos abriam.

pub
pub
pub
pub