Economia Perigo de incêndio leva Governo a proibir balões de São João no Porto. Multas até cinco mil euros

Perigo de incêndio leva Governo a proibir balões de São João no Porto. Multas até cinco mil euros

Lançar balões de São João é este ano proibido, podendo levar a uma multa até aos cinco mil euros por pessoa singular, e a PSP do Porto disse hoje que irá proceder à fiscalização durante os festejos.
Perigo de incêndio leva Governo a proibir balões de São João no Porto. Multas até cinco mil euros
Cofina Media
Lusa 22 de junho de 2017 às 19:25

O lançamento de um balão de São João pode ter uma contraordenação punida por coima que pode variar entre os 140 euros e os cinco mil euros, no caso de pessoas singular, e os 800 euros e os 60 mil euros no caso de pessoa colectiva, indica a portaria n.º 195/2017 hoje publicada.

 

O período crítico do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios foi antecipado para hoje, por causa das condições meteorológicas adversas de temperatura que determinaram o aumento do nível de perigosidade para alerta vermelho e laranja no território continental, o que significa que está proibido o lançamento dos tradicionais balões de São João.

Fonte do gabinete de imprensa da PSP do Porto explicou à Lusa que, face à portaria nº 195/2017 que foi hoje publicada em Diário da República, aquela polícia já realizou operações na cidade de sensibilização para "reforçar o alerta relativamente à proibição do lançamento dos balões com mecha acesa".

 

"Tendo em consideração esta proibição, o Núcleo de Armas e Explosivos esteve a fazer hoje acções junto dos operadores e comerciantes no sentido de informar que saiu esta portaria e que o lançamento de balões é proibido", referiu a mesma fonte da PSP.

 

Questionado sobre se o fogo-de-artifício do São João do Porto, previsto para ser accionado na noite de 23 para 24 de Junho, se mantém, a mesma fonte explicou que o "evento está devidamente licenciado e não vai haver lançamento de foguetes de cana", que são os que estão proibidos.

 

Trata-se de "um evento pirotécnico de fogo-de-artifício, em que não vão ser lançados foguetes", acrescentou, reiterando que o que a PSP vai fazer é "tentar cumprir o que está legislado a partir de hoje".

 

A Câmara Municipal de Matosinhos, por seu turno, fez hoje um aviso à população na sua página da Internet, alertando para a "proibição do lançamento de balões de mecha acesa e de qualquer tipo de foguetes".

 

"A Protecção Civil de Matosinhos vem informar a população para a proibição do lançamento de balões de mecha acesa e de qualquer tipo de foguetes a partir de hoje dia 22 de Junho, data de início do período crítico de incêndio, conforme o disposto na Portaria n.º 195/2017 de 22 de Junho. (...) Os balões de São João, tradicionalmente lançados no próximo dia 23 de junho enquadram-se nesta proibição", lê-se na página da autarquia.

 

Sobre o lançamento de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos que não sejam considerados foguetes, o seu lançamento "está condicionado à autorização da Câmara Municipal, sendo o lançamento não autorizado punido nos mesmos termos do lançamento de balões de mecha acesa e foguetes", acrescenta a Câmara de Matosinhos.

 

No artigo 37º do decreto-lei nº 124/2006 pode ler-se que a competência da fiscalização compete à "Guarda Nacional Republicana, à Polícia de Segurança Pública, à Polícia Marítima, à Autoridade Florestal Nacional, à Autoridade Nacional de Proteção Civil, às câmaras municipais, às polícias municipais e aos vigilantes da natureza" bem como "compete aos membros do Governo responsáveis pelas áreas da administração interna e das florestas, a definição das orientações no domínio da fiscalização do estabelecido no presente decreto-lei".

 

A PSP de Braga já tinha informado hoje que este ano vai ser proibido o lançamento de balões de ar quente durante as Festas de S. João, face à antecipação do início do período crítico de incêndios.

 

 




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Só demonstram que são Lisboetas porque no stº António lançou-se balões agora querem estragar o S. João.

Mafalda Há 3 semanas

Bom senso, organizadores e populares nem era preciso a lei... tempo de evoluir, em qualquer local na época de verão, tudo o que pode originar algum tipo de incêndio devia deixar de existir... Balões de ar quente podem substituir por led's e fogo artifício, substituam por festivais de luzes...

Anónimo Há 3 semanas

Já não era sem tempo. Medida básica e com senso.

Anónimo Há 3 semanas

POR ACASO PROIBIRAM EM LISBOA NO SANTO ANTÓNIO? NÃO!... ESTÁ TUDO DITO!!!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub