Américas Petrolífera estatal venezuelana diz ter compromissos financeiros em dia  

Petrolífera estatal venezuelana diz ter compromissos financeiros em dia  

Esclarecimento surge depois de a JP Morgan ter informado na segunda-feira que a PDVSA estava a ter dificuldades para pagar os juros dos títulos de dívida, necessitando de 30 dias para completar o pagamento.
Petrolífera estatal venezuelana diz ter compromissos financeiros em dia  
Reuters
Lusa 22 de Novembro de 2016 às 07:23

A empresa estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) garantiu hoje que tem pagado pontualmente as suas dívidas e atribuiu a informações falsas a possibilidade de vir a entrar em 'default' (incumprimento financeiro).

 

"A PDVSA informa que os títulos [de dívida] emitidos pela corporação têm sido pagos de maneira pontual e condena categoricamente as falsas versões difundidas sobre este tema", lê-se num comunicado da empresa.

 

A empresa de serviços financeiros JP Morgan informou na segunda-feira que a PDVSA estava a ter dificuldades para pagar os juros dos títulos de dívida, necessitando de 30 dias para completar o pagamento.

 

No comunicado, a PDVSA informa que em relação aos títulos que vencem em 2021, 2024 e 2026, "segundo as condições pré-estabelecidas (...) já se efectuaram os pagamentos dos juros correspondentes ao semestre terminado em novembro de 2016". E que os juros dos títulos que vencem em 2035 "encontram-se em processo de execução, segundo os termos e condições que estabelecem os lapsos previstos na emissão".

 

"A PDVSA honra os compromissos adquiridos com o povo e com todos os investidores de títulos emitidos pela empresa, o que ratifica a solidez financeira da principal indústria dos venezuelanos", conclui.

 

Na segunda-feira, num alerta enviado aos seus clientes, a JP Morgan explicava que a PDVSA pagou parcialmente os juros da dívida, tendo ativado o mecanismo de "período de graça de 30 dias" para pagar 9%, 6% e 9,75% de juros correspondentes aos títulos de dívida que vencem em 2021, 2024 e 2035, respectivamente.

 

"Na semana passada, a PDVSA tinha cupões para pagar de 539 milhões de dólares norte-americanos. Conforme o reportado pelo agente pagador (CITI) e pela Clearstream, a PDVSA pagou unicamente 135 milhões de dólares de 6% de juros (títulos de 2024), estando pendentes os outros fundos. A PDVSA não respondeu a telefonemas ou emails", lê-se no texto do alerta.

 

Segundo a JP Morgan, "com base na descrição dos alertas sobre esses títulos, a PDVSA conta com um período de graça de 30 dias para efectuar pagamentos dos cupões, antes de se transformarem num evento de 'default'" e "todos os títulos da PDVSA têm uma cláusula de aceleração cruzada de 100 milhões de dólares".

 

No alerta, a JP Morgan fiz acreditar "que a PDVSA fará esses pagamentos" durante o período de graça e afirma que "a Venezuela tem mais de 10,86 biliões de dólares norte-americanos em reservas".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub