Política PEV sustenta que mais do que "reinvenção" é preciso "vontade política" e meios para mudança

PEV sustenta que mais do que "reinvenção" é preciso "vontade política" e meios para mudança

O PEV sustentou hoje que "mais do que criatividade e reinvenção", exigidas pelo Presidente da República, é preciso "vontade política, garantia de meios e acção" para uma mudança estrutural.
PEV sustenta que mais do que "reinvenção" é preciso "vontade política" e meios para mudança
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 01 de janeiro de 2018 às 22:55
"Em matéria de combate às causas que contribuíram para a imensa dimensão e trágicas consequências dos incêndios florestais de 2017 e em matéria de reforço de uma política preventiva para o futuro, mais do que criatividade e reinvenção, é preciso vontade política, garantia de meios e acção, de modo a que a mudança estrutural se dê, de facto", é referido num comunicado do PEV.

Na sua tradicional mensagem de Ano Novo, o Presidente da República defendeu hoje que 2018 terá de ser o "ano da reinvenção" da confiança, advertindo que os portugueses precisam de ter a certeza de que, "nos momentos críticos, as missões essenciais do Estado não falham".

"Reinvenção da confiança dos portugueses na sua segurança, que é mais do que estabilidade governativa, finanças sãs, crescente emprego, rendimentos. É ter a certeza de que, nos momentos críticos, as missões essenciais do Estado não falham nem se isentam de responsabilidades", exigiu Marcelo Rebelo de Sousa.

Sobre este ponto da mensagem, o PEV frisa que "trabalhou incansavelmente para que se tomassem medidas legislativas e orçamentais que viessem a ter repercussão visível na floresta", através da necessidade de estancar as imensas áreas de monocultura do eucalipto, entre outras.

Quanto à advertência de Marcelo Rebelo de Sousa de que os sucessos de Portugal na economia e finanças colocam "fasquias mais altas" no combate à pobreza e aconselham "prudência no futuro", o PEV realça que está "profundamente empenhado nesse objectivo".

Contudo, responsabiliza a União Europeia, considerando que "não pode continuar a constituir uma força de bloqueio a esse desenvolvimento".

O PEV destaca ainda que o Presidente da República reconheceu que as políticas do actual governo "têm dado bons resultados na melhoria das condições de vida das pessoas e no crescimento económico".

"Os Verdes consideram que esse facto só foi possível por se ter quebrado o ciclo da política prosseguida pelo PSD/CDS, profundamente negativo para os portugueses", lê-se na nota do partido ecologista.



pub