Mundo PIB dos EUA avança 3,3% no terceiro trimestre, o ritmo mais elevado em três anos

PIB dos EUA avança 3,3% no terceiro trimestre, o ritmo mais elevado em três anos

Os dados divulgados pelo Departamento do Comércio dos Estados Unidos mostram que a economia americana cresceu 3,3% no terceiro trimestre deste ano, tendo acelerado face aos 3,1% registados no trimestre anterior naquele que é o crescimento mais rápido em três anos.
PIB dos EUA avança 3,3% no terceiro trimestre, o ritmo mais elevado em três anos
Bloomberg
David Santiago 29 de novembro de 2017 às 13:54

O comportamento da economia dos Estados Unidos no terceiro trimestre foi melhor do que se pensava. O PIB americano avançou 3,3% entre Julho e Setembro deste ano, segundo mostra a leitura divulgada esta quarta-feira, 29 de Novembro, pelo Departamento do Comércio dos EUA.

 

A segunda leitura hoje revelada representa uma melhoria face à primeira estimativa que apontava para um crescimento de apenas 3,0%. Com a expansão económica de 3,3%, a economia americana regista o crescimento mais rápido desde o terceiro trimestre de 2014.

 

O PIB acelerou face ao crescimento de 3,1% que tinha sido alcançado no segundo trimestre de 2017, na primeira vez desde 2014 que a maior economia mundial avança 3% ou mais em dois trimestres consecutivos. Esta segunda estimativa supera ainda as estimativas dos analistas. Num inquérito realizado pela agência Reuters, os economistas antecipavam um avanço de 3,2%.

 

A contribuir para o forte crescimento registado no terceiro trimestre esteve o aumento no investimento das empresas em inventários e equipamento que acabou por compensar um comportamento moderado da despesa dos consumidores. O Departamento do Comércio sustenta ainda que o reforço da despesa pública também contribuiu para o acelerar da economia entre Julho e Setembro. 


Os dados permitem ainda perceber que os lucros alcançados pelas empresas (+4,3% no terceiro trimestre) apoiaram o acelerar da economia.

A Reuters realça que a economia americana continua assim a recuperar face à crise financeira de 2007-2009, estando no oitavo ano de recuperação, impulsionado pelas melhorias verificadas no mercado laboral do país. Os economistas consultados pela Reuters sustentam que é modesto o contributo das medidas da administração liderada pelo presidente Donald Trump, na Casa Branca há menos de um ano. Até porque a promessa de corte da taxa de IRC de 35% para 20% não foi ainda aprovada pelo Congresso


(Notícia actualizada às 14:15)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar