Conjuntura PIB regressa aos níveis da troika
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

PIB regressa aos níveis da troika

As exportações e o investimento levaram a economia ao melhor trimestre da década e a atingir uma barreira psicológica: Portugal produziu pela primeira vez mais do que antes da troika chegar. Mas ainda não recuperou os níveis pré-crise.
PIB regressa aos níveis da troika
Rui Peres Jorge 01 de junho de 2017 às 00:01

Portugal produziu nos primeiros três meses de 2017 tanto quanto no segundo trimeste de 2011, quando Portugal dirigiu o pedido de resgate à Comissão Europeia, BCE e FMI. Foram precisos seis anos para recuperar o nível de rendimento

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas

Vais ver que esses portugueses à prova de alterações de mercado que perderam a blindagem e o colinho do papá Estado e eu sou obrigado a suportar, eram um empecilho para o desenvolvimento e crescimento sustentáveis da economia portuguesa. O problema é que esses portugueses injustamente protegidos teriam ainda muita companhia de muitos outros portugueses injustamente protegidos nessa queda para a realidade que conferiu mais equidade e sustentabilidade ao país. O PS anarco-sindicalista e defensor do compadrio bolivariano veio a tempo de salvaguardar os interesses dessa corja de bandidos que escaparam. Salvos pelo gongo. De qualquer modo, graças às poucas reformas que ainda assim passaram, Portugal tornou-se num país de mais e melhores oportunidades para quem souber realmente criar valor na economia. Existirão novas oportunidades para se completar o processo evolutivo transformacional deixado a meio pelo governo do PSD coligado com o CDS.

comentários mais recentes
nabos? só se for na Venezuela! Há 3 semanas

Zé nabo continuas a Lamber o Rabo ao Monhé Seu Comuna Panasca! Vai plantar nabos para a VENEZUELA é que aqui é Europa e os nabos não têm futuro! Enfiava-te o punho cerrado do ps pelo Cu acima seu Panasca nabo Filho de uma Bosta de Vaca!

Anónimo Há 3 semanas

Em Portugal julgam que competitividade é criar bónus para que os funcionários públicos não façam mal aquilo que já se faziam pagar, em muitos casos bem acima do preço de mercado, para fazerem bem.

Ze nabo Há 4 semanas

E melhor mudar de rennie para outro porque este ja nao faz efeito. Ja agora toma qualquer coisa para os cornos porque estes nao param de crescer desde do final de 2015 eainda vao crescer por mais alguns anos enquanto o careca drogado cara de velha aziado for chefe da quadrilha do partido sem destino

Anónimo Há 4 semanas

Propriedade intelectual pouca ou nenhuma. Construção ao rubro. Onde é que eu já vi este modelo ruinoso? Pois, parece 2007. A Formação Bruta de Capital Fixo em Portugal aproxima-se mais do modelo padrão de uma economia subdesenvolvida do que do de uma economia desenvolvida. Isto não é grave, é calamitoso e tem assinatura de governo socialista.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub