Segurança Social PJ deteve 12 pessoas por corrupção na legalização de imigrantes na Segurança Social

PJ deteve 12 pessoas por corrupção na legalização de imigrantes na Segurança Social

O 'modus operandi' consistia na manipulação do sistema informático da Segurança Social, por meio da criação e alteração de registos na base de dados. Segurança Social diz que o esquema foi detectado internamente.
PJ deteve 12 pessoas por corrupção na legalização de imigrantes na Segurança Social
Pedro Elias/Negócios
Negócios com Lusa 27 de junho de 2017 às 12:48

A PJ deteve hoje 12 pessoas, seis dos quais funcionários do Instituto da Segurança Social, por corrupção, falsificação de documentos e outos crimes relacionados com a legalização de imigrantes oriundos do Sudoeste asiático.

Em comunicado, a Polícia Judiciária adianta que entre os 12 detidos estão também seis cidadãos estrangeiros, estando em causa, neste processo, crimes de corrupção passiva e activa para ato ilícito, abuso de poder, falsidade informática e falsificação de documentos.

 

Segundo a PJ, o 'modus operandi' consistia na manipulação do sistema informático da Segurança Social, por meio da criação e alteração de registos na base de dados, atribuindo números de identificação da segurança social fraudulentos a cidadãos estrangeiros mediante o recebimento de contrapartidas, no valor de centenas de milhares de euros.

Num comunicado enviado às redacções, o Instituto da Segurança Social (ISS) diz que foi a própria instituição a apresentar a denúncia que desencadeou as buscas para "recolha de prova." 

"A referida denúncia resulta das práticas internas de detecção de fraude interna desenvolvidas no âmbito do seu Plano de Prevenção dos Riscos de Corrupção e Infrações Conexas," detalha o ISS, no documento em que considera que esta é uma "situação isolada" e se compromete a combater "todos o tipo de práticas que não estejam alinhadas com o seu Código de Ética ou que violem as normas que enquadram a atuação da Administração Pública".