Justiça PJ deteve oito pessoas por suspeitas de fraude fiscal de 50 milhões de euros

PJ deteve oito pessoas por suspeitas de fraude fiscal de 50 milhões de euros

A Polícia Judiciária deteve oito pessoas por crimes de associação criminosa e fraude fiscal e ainda outros ilícitos que terão sido praticados no norte do país. A RTP adianta que o Estado terá sido lesado em 50 milhões de euros.
PJ deteve oito pessoas por suspeitas de fraude fiscal de 50 milhões de euros
Bruno Simão/Negócios
Negócios 27 de junho de 2017 às 13:30

A Polícia Judiciária deteve oito pessoas suspeitas da prática dos crimes de associação criminosa, fraude fiscal e ainda outros ilícitos que terão sido praticados na região norte de Portugal. Em nota publicada no site da PJ, a força policial revela que estas detenções foram realizadas no âmbito da "Operação B 52", um inquérito que está a cargo do Ministério Público através do DIAP do Porto.

 

Na nota referida, a PJ explica que as detenções foram feitas no "cumprimento de mandatos" emitidos pelo DIAP do Porto, tendo procedido "à identificação e detenção de oito pessoas, uma parte das quais por associação criminosa para a prática de crimes de fraude fiscal e branqueamento". 

 

Segundo a PJ, a investigação foi feita em conjunto com a Autoridade Tributária, tendo permitido "recolher elementos indiciários de que os suspeitos, com os referidos ilícitos, tenham defraudado o Estado em elevados montantes ainda não totalmente apurados pelo não pagamento de impostos devidos no âmbito da respectiva actividade comercial".

Entretanto, a RTP que avançou com a notícia, adianta que em causa estará um montante de 50 milhões de euros e que entre os detidos "há empresários e técnicos oficiais de contas".

 

Ainda de acordo com a notícia do canal público, a PJ realizou na manhã desta terça-feira perto de 40 buscas em 21 locais, repartidos pelo Porto, Gondomar e Penafiel. A RTP refere que em causa está um alegado esquema de "facturação falsa e falsificação de vários outros documentos". Contudo, a RTP refere-se a nove detenções e não oito como escreve a PJ na nota publicada no seu site.

 

A PJ adianta também que esta operações foi ainda feita em colaboração com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, acrescentando que "foram ainda identificadas e detidas em flagrante delito mais cinco pessoas, duas por posse de documentação falsa, duas por entrada e permanência ilegal e uma por detenção de arma proibida". 

Os detidos, com idades compreendidas entre os 29 e os 65 anos, alguns empresários e outros sem qualquer ocupação profissional declarada, serão presentes a um juiz para interrogatório e consequente aplicação de medidas de coacção. 




pub