Finanças Públicas Pobreza volta a baixar, mas continua acima dos níveis pré-troika

Pobreza volta a baixar, mas continua acima dos níveis pré-troika

Em 2016, 18,3% da população estava em risco de pobreza, a viver com menos do que 454 euros por mês. São menos 0,7 pontos do que um ano antes, mas ainda acima dos níveis registados antes do plano de assistência financeira. Entre os desempregados, a situação continua a agravar-se.
Pobreza volta a baixar, mas continua acima dos níveis pré-troika
Elisabete Miranda 30 de novembro de 2017 às 11:40

A percentagem de população pobre em Portugal continua a baixar, acompanhando a melhoria das condições económicas. Em 2016, as crianças e jovens e os idosos foram os dois grupos que assistiram a um alívio da sua privação monetária, mas, em contrapartida, as condições de vida complicam-se para os desempregados. 

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2016, 18,3% da população vivia com menos do que 454 euros por mês e caía na definição de pobreza, um patamar que traduz uma redução de 0,7 pontos percentuais face a 2015. Estes números espelham um novo alívio do risco de pobreza pelo segundo ano consecutivo, mas ainda não recuperaram para os níveis anteriores aos do plano de ajustamento financeiro. 
 

2013 foi o ano onde o risco de pobreza disparou para níveis de recorde. No meio da crise financeira, com diversas prestações a serem cortadas, Portugal voltou ao patamar dos dois milhões de pobres, um número que tinha ficado para trás quando se dobrou o século.

 

Em 2015 e 2016 os indicadores começaram a afastar-se destes patamares historicamente elevados, com a taxa de risco pobreza a recuar para 19%, primeiro, e para os 18,3% depois. Estes valores continuam, contudo, aquém do patamar dos 17,9% de taxa de risco de pobreza registados em 2009, quando a crise começou a despontar.

 

Outro indicador que permite verificar precisamente, que a situação ainda está longe dos níveis pré-crise, prende-se com a taxa de pobreza ancorada em 2009 em que se pretende apurar o universo de população pobre à luz do limiar de pobreza de 2009. De acordo com o INE, considerando este critério, em 2016 havia 21,1% de pobres no País. 



 

Situação deteriora-se para os desempregados

 

O alívio da incidência da pobreza ocorreu sobretudo entre as crianças e jovens com menos de 18 anos (baixou e 22,4% para 20,7%) e a população idosa (em que a percentagem de população pobre baixou de 18,3% para 17%). Mas, em contrapartida, continua a agravar-se a situação dos desempregados.

Em 2016, 44,8% das pessoas sem trabalho remunerado vivia com menos do que 454 euros por mês, uma percentagem que bate todos os recordes – é mesmo pior do que no epicentro da crise. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Infelizmente este é o triste legado de Passos Coelho!!

Este é o resultado de "ir orgulhosamente além da Troika"...

Pelo menos 70% dos Portugueses abriram os olhos a tempo de evitar o segundo mandato dos neo-liberais.

Kiran Há 1 semana

Contact Kayzed Consultants


Kayzed Helps the organization in getting ISO Certification and other significance done smoothly and cost effectively. Just fill the simple form and get in touch with us for any kind of services as ISO consultancy training, certification against various standards li