Política Monetária Políticas de Trump geram grande incerteza no seio do Banco do Japão

Políticas de Trump geram grande incerteza no seio do Banco do Japão

Também as eleições que vão realizar-se na primavera na Holanda ou na França - onde os partidos da extrema-direita estão bem posicionados nas sondagens - são factores que dificultam a antecipação de um cenário económico concreto.
Políticas de Trump geram grande incerteza no seio do Banco do Japão
Lusa 08 de fevereiro de 2017 às 07:42
As políticas económicas do novo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, geram grande incerteza no seio do comité de política monetária do Banco do Japão (BoJ), segundo mostram as minutas da última reunião realizada há uma semana.

"Apesar de as economias estrangeiras se terem virado, no seu conjunto, rumo a uma recuperação moderada, é provável que persistam factores de incerteza, como o referente às políticas económicas da nova Administração dos Estados Unidos e o seu impacto nos [países] emergentes", sublinhou um dos membros da junta.

Outro dos membros do órgão destacou no encontro, realizado a 30 e 31 de Janeiro, que entre os potenciais factores de instabilidade figuram "as posições do novo Governo norte-americano e o resultado das negociações do Brexit", segundo o documento publicado hoje pelo BoJ.

Durante a reunião também foi destacado que as eleições que vão realizar-se na primavera na Holanda ou na França - onde os partidos da extrema-direita estão bem posicionados nas sondagens - constituem igualmente factores que fazem com que seja difícil antecipar um cenário económico concreto.

O governador do banco emissor nipónico, Haruhiko Kuroda (na foto), já manifestou publicamente a sua preocupação relativamente aos efeitos que as decisões económicas de Donald Trump podem ter sobre o Japão.

Em menos de um mês desde a sua chegada à Casa Branca, Trump deixou para trás o Acordo de Associação Transpacífico (TPP), pedra angular do plano de crescimento do Governo nipónico, e criticou as práticas comerciais do Japão e a política monetária do BoJ, advogando por um enfoque proteccionista para os Estados Unidos.

Todos estes assuntos estarão no centro da agenda quando o Trump receber, na sexta-feira, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em Washington.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 25.02.2017

Ha razao para se preocuparem; < os 69 bilioes de dollars US>que o Japao estava a ter de lucro por ano nas exportacoes para os EU, o Mexico 66B. e a China tambem mais de 60 B. irao ACABAR; isso e' razao para todo o mundo se zangar e ate provocar a guerra de propaganda anti Trump que presentemente se esta a dar dentro dos proprios EUA. Apoiada pelo extrior afectado; o leitinho vai acabar! AMERICA PRIMEIRO!!!

comentários mais recentes
Anónimo 25.02.2017

Ha razao para se preocuparem; < os 69 bilioes de dollars US>que o Japao estava a ter de lucro por ano nas exportacoes para os EU, o Mexico 66B. e a China tambem mais de 60 B. irao ACABAR; isso e' razao para todo o mundo se zangar e ate provocar a guerra de propaganda anti Trump que presentemente se esta a dar dentro dos proprios EUA. Apoiada pelo extrior afectado; o leitinho vai acabar! AMERICA PRIMEIRO!!!

pub
pub
pub
pub