Ambiente Poluição no Tejo: Partidos defendem revisão das licenças poluidoras e mais fiscalização

Poluição no Tejo: Partidos defendem revisão das licenças poluidoras e mais fiscalização

Os partidos com assento parlamentar defendem a revisão das licenças ambientais das empresas que operam no rio, assim como uma maior e mais eficaz fiscalização, avança o jornal Público.
Poluição no Tejo: Partidos defendem revisão das licenças poluidoras e mais fiscalização
Bloomberg
Negócios 06 de fevereiro de 2018 às 10:10
Os partidos representados no Parlamento são unânimes em defender que são necessárias medidas urgentes para reduzir a poluição no rio Tejo, avança o Público esta terça-feira, 6 de Fevereiro.

As medidas que merecem o consenso dos partidos da esquerda à direita são a revisão das licenças ambientais das empresas que operam no rio, reduzindo o valor das autorizações das emissões de descarga, assim como uma maior e mais eficaz fiscalização, escreve o jornal.

O PS aponta que já começou a ter lugar a "remoção da matéria orgânica acumulada no fundo das albufeiras" e defende a "revisão das licenças ambientais das empresas que operam no rio Tejo", segundo o deputado João Torres.

Já o PSD defende que, no imediato, o mais importante é garantir que as empresas cumprem as licenças de descarga que têm", e que devem vir a ser instalados "sistemas de monitorização permanente, quer nos rios quer no interior das fábricas", de acordo com o deputado Duarte Marques.

O Ministério do Ambiente anunciou na segunda-feira o prolongamento por mais 30 dias de todas as medidas provisórias impostas à empresa Celtejo, nomeadamente a redução de 50% do volume diário de descargas e efluentes no rio Tejo.

O inspector-geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, Nuno Banza, disse na segunda-feira que foram recolhidas amostras na Celtejo.

No entanto, devido a problemas com um colector automático, somente à quarta tentativa é que foi possível recolher amostras suficientes recorrendo a três inspectores que durante 24 horas estiveram a fazer as recolhas manuais hora a hora.



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Fartos de conhecer os responsáveis poluidores estão eles. Só que, da esquerda à direita, é tudo uma corja de vendidos e de corruptos e quem o não for é obrigado a render-se à condição. Bem fazem os espanhóis ao desviar a água, deviam era desviá-la toda.

silva Há 2 semanas

Sim vejam o Tejo em Espanha parece um ribeiro mas o transvase parece um rio.

Tereza economista Há 2 semanas

Deviam preocupar-se para que tratassem os residuos, como fazem outras celuloses e os lagares de azeite, surgindo novos adubos para a agricultura e com o caudal de Espanha que está a levar a água do Tejo pelo transvase para as huertas de valencia e Murcia. Ajoelhados no nuclear e nos caudais dos rios

NOJO DE PAÍS ! Há 2 semanas

POBRE RIO TEJO !
Vítima de um país de responsáveis corruptos, para quem os expedientes são o seu modo de estar na vida.
ATÉ NA RECOLHA DE AMOSTRAS DO VENENO QUE A CELTEJO DEITA, CRIMINOSAMENTE, NO NOSSO TEJO, ATÉ NISSO SOMOS PERITOS EM ALDRABAR E CORROMPER.

ver mais comentários
pub