Rendas Porta 65 aceita novas candidaturas até 18 de Maio

Porta 65 aceita novas candidaturas até 18 de Maio

Arrancou esta segunda-feira, 17, mais um período de candidaturas ao Programa Porta65, que decorre até 18 de Maio. Candidatos devem ter já entregue a declaração de IRS do ano anterior e possuir a senha de acesso ao Portal das Finanças, a mesma com a qual poderão candidatar-se.
Porta 65 aceita novas candidaturas até 18 de Maio
Miguel Baltazar/Negócios
Filomena Lança 17 de abril de 2017 às 16:14

O Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) abriu esta segunda-feira, 17 de Abril, mais um período de candidaturas ao Programa Porta 65, que apoia o arrendamento jovem. Para este ano o Orçamento do Estado prevê uma dotação de 12,5 milhões de euros para financiar as candidaturas que já vêm de outros anos e que se renovam, bem como as novas entradas.

 

O programa, recorde-se, destina-se a jovens com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 30. Tratando-se de um casal, admite-se que um dos elementos possa ter até 32 anos, inclusive. A actual fase de candidaturas fecha no dia 18 de Maio pelas 18 horas.

 

A entrada no Portal da Habitação, onde são apresentadas as candidaturas, faz-se utilizando a senha das Finanças, a mesma usada para a entrega on-line do IRS. Um dos alertas dados pelo IHRU a quem vai candidatar-se é que necessita de ter já apresentado a sua declaração de rendimentos do ano anterior – recorde-se que a partir deste ano todos podem entregar o IRS a partir de 1 de Abril, independentemente da sua categoria de rendimentos.

O apoio é concedido por um período de 12 meses e pode depois ser renovado até um máximo de 36 meses, seguidos ou interpolados. Todos os anos é preciso pedir a renovação, no mesmo período de candidaturas em que o subsídio foi atribuído pela primeira vez.

 

Atenção às rendas máximas por município admitidas para o ano de 2017, que podem ser consultadas aqui

 

As dotações do orçamento do Estado destinadas ao Porta 65 têm vindo a reduzir-se nos últimos anos, deixando de fora um número cada vez maior de novos candidatos. Em 2010 a dotação foi de 19,5 milhões e em 2011 caiu para os 18 milhões. Em 2013 ainda se gastaram 13,5 milhões, mas chegou-se a prever o fim do programa. Este acabaria por ser mantido, mas com as dotações em queda. Este ano serão 12,5 milhões de euros, mas o Parlamento está a fazer diligências para que o programa seja alargado nos próximos anos.

 

Um pacote de propostas de alteração legislativa apresentado pelos diferentes partidos no Parlamento foi recentemente aprovado na generalidade e vai agora ser discutido na especialidade. Uma das medidas transversais às várias propostas é que o subsídio seja alargado para os 35 anos e que, sendo um casal, um dos membros possa ter 37 anos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub