Economia Portugal acolhe primeira reunião de 2018 dos presidentes das agências europeias do Medicamento

Portugal acolhe primeira reunião de 2018 dos presidentes das agências europeias do Medicamento

Portugal vai acolher, em Fevereiro, a primeira reunião de 2018 dos presidentes das Agências do Medicamento (Heads of Medicines Agencies) europeus, anunciou esta sexta-feira a Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde.
Portugal acolhe primeira reunião de 2018 dos presidentes das agências europeias do Medicamento
Pedro Elias
Lusa 08 de setembro de 2017 às 20:38

A decisão foi tomada esta semana, em Tallin (Estónia), durante um encontro de responsáveis das agências europeias do Medicamento, que contou com a participação da Presidente do Infarmed, Maria do Céu Machado.

 

A reunião de Fevereiro decorrerá no âmbito da presidência búlgara do Conselho da União Europeia.

 

Segundo uma nota divulgada pela Infarmed na sua página online, durante o encontro desta semana em Tallin (que decorreu entre os dias 5 e 7 de Setembro), os responsáveis das agências europeias "discutiram mudanças associadas ao Brexit ou a optimização dos procedimentos regulamentares".

 

Em destaque na capital da Estónia esteve "o grupo que está a trabalhar matérias associadas a dificuldades de abastecimento no mercado, que são uma preocupação geral dos países europeus".

 

"Este trabalho vai ser aprofundado através da criação de subgrupos específicos, num dos quais Portugal irá participar. As questões do acesso têm sido uma das prioridades definidas pela presidência estónia", refere a Infarmed, adiantando que "na agenda desta reunião estiveram ainda matérias como o papel do e-health no sector da saúde da Estónia".

 

Instituto público integrado na administração indirecta do Estado, dotado de autonomia administrativa, financeira e património próprio, a Infarmed tem por missão "regular e supervisionar os sectores dos medicamentos, dispositivos médicos e produtos cosméticos e de higiene corporal", segundo os "mais elevados padrões de protecção da saúde pública".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub