Finanças Públicas Portugal com o quarto maior excedente orçamental da Zona Euro

Portugal com o quarto maior excedente orçamental da Zona Euro

Portugal foi o país da Zona Euro que mais melhorou as contas públicas entre o segundo e terceiro trimestre do ano passado.
Portugal com o quarto maior excedente orçamental da Zona Euro
Lusa
Nuno Carregueiro 24 de janeiro de 2018 às 10:29

Já se sabia que o excedente orçamental registado em Portugal no terceiro trimestre tinha sido o mais elevado em 23 anos. Os dados do Eurostat, revelados esta quarta-feira, mostram que foi o quarto mais elevado entre todos os países que integram a Zona Euro.

 

Segundo o instituto de estatística da Comissão Europeia, o excedente orçamental de 1,5% do PIB apurado entre Julho e Setembro do ano passado em Portugal só foi superado no Luxemburgo (2,4%), Alemanha (2,5%) e Malta (4,2%).

 

O resultado compara também de forma bastante favorável com a média da Zona Euro, onde foi apurado um défice orçamental de 0,3% do PIB, ainda assim melhor do que o défice de 1% do PIB no segundo trimestre.

 

Os dados do Eurostat mostram também que Portugal foi o país da Zona Euro onde as contas públicas melhoraram de forma mais substancial entre o segundo e o terceiro trimestre (2,8 pontos percentuais). No segundo trimestre Portugal tinha um défice orçamental de 1,4% do PIB.

 

Este bom desempenho das contas públicas no terceiro trimestre, como já notou o Conselho das Finanças Públicas, garante que o défice da totalidade de 2017 deverá ficar abaixo dos 1,4% previstos no Orçamento do Estado para 2018. O primeiro-ministro António Costa apontou já para um valor de 1,2% do PIB.       

 

Dívida pública desce mais do que na Zona Euro

 

O Eurostat também publicou os dados com a dívida pública relativa ao terceiro trimestre, sendo que neste indicador a evolução em Portugal é menos favorável, mas também compara bem com o registado na Zona Euro.

 

A dívida pública em Portugal baixou 1,2 pontos percentuais para 130,8% do PIB no terceiro trimestre, o que compara com a redução de 0,9% registada na Zona Euro.

 

Portugal continua ainda assim com o terceiro maior nível de endividamento na Zona Euro, só superado pela Itália (134,1%) e pela Grécia (177,4%). Na Zona Euro a dívida corresponde a 88,1% do PIB.  

  

 

 




A sua opinião33
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas

Saiu-nos do bolso e custou balúrdios, tudo para subsidiar sobreemprego e sobrepagamento actual e futuro na banca de retalho e no sector público em sentido lato, respeitando a máxima criminosa que diz que funcionário público ou bancário em Portugal é inelegível para o RSI. Não apoiou ou apoiará a inovação, o investimento ou o empreendedorismo. Mais valia terem iniciado um fundo soberano com esse dinheiro. Teria sido num momento ideal. Um rol de oportunidades perdidas para Portugal e os portugueses no seu todo. Brincam com o dinheiro dos outros e o futuro do país de forma indecorosa. Cada vez mais longe da Escandinávia, da Península Malaia ou da Oceania.

comentários mais recentes
joliva Há 4 semanas

E muito engraçado ver a direitalha com tanta dor de cotovelo.

Anónimo Há 4 semanas

O bom trabalho do governo é claro. Só tenho pena que ainda estejamos a pagar as brincadeiras do ministro de Cavaco Silva o Dr. Oliveira e Costa no BPN e do Dr. Ricardo Salgado e seus administradores ligados à direita no grupo GES. Sem essas roubalheiras outra realidade estaríamos a viver.

Vamos aguardar pelo o fim, espero que tudo melhor Há 4 semanas

Mas que é isto? o terceiro trimestre foi trucidado pelo o quarto e ainda não sabemos como ficará o dinheiro utilizado na Caixa. Ver isto por trimestre, é ver a árvore e não ver a floresta, empurra-se as despesas para o quarto e tudo parece melhor no 3º, cheira-me a propaganda enganosa dos manhosos

Anónimo Há 4 semanas

Longe vão os tempos em que o Anónimo excedentário comparava Portugal com a Grécia, foi entre 2011 e 2015...agora ele compara Portugal com os Países ESCANDINAVOS.

Sem dúvida que o progresso nestes 2 anos foi excelente e nós agradecemos o teu reconhecimento Excedentário

Obrigado

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub