Mundo Portugal considera "perturbadora" decisão de países cortarem relações com o Qatar

Portugal considera "perturbadora" decisão de países cortarem relações com o Qatar

O ministro português dos Negócios Estrangeiros qualificou, hoje em Madrid, de "perturbadora" a decisão do Bahrein, Egipto, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Iémen de cortarem relações diplomáticas com o Qatar.
Portugal considera "perturbadora" decisão de países cortarem relações com o Qatar
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 05 de junho de 2017 às 14:52

"Haver cortes de relação entre países é sempre um elemento perturbador", disse Augusto Santos Silva, acrescentando ser necessário uma "boa concertação política e diplomática entre todos, e não de perturbação".

 

Bahrein, Egipto, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos acusam o Qatar de apoiar o terrorismo e anunciaram a retirada dos diplomatas desse país dos seus territórios, a par com planos para cortar as ligações aéreas e marítimas, tendo a Arábia Saudita dado ainda conta de que também pretende encerrar a sua fronteira terrestre.

 

Para o chefe da diplomacia portuguesa, "este caso é ainda mais perturbador porque ocorre poucos dias depois de uma reunião de todos os países do Golfo com a nova administração norte-americana".

 

Desse encontro "parecia ter saído uma mensagem de unidade e de envolvimento de todos no combate ao terrorismo", disse Augusto Santos Silva.

 

Na sequência dos anúncios de corte de relações diplomáticas, a coligação internacional liderada pela Arábia Saudita que intervém no Iémen anunciou a exclusão do Qatar devido ao "seu apoio ao terrorismo".

 

Além da Arábia Saudita, Bahrein, Egipto, Emirados Árabes Unidos, integram a coligação internacional a Jordânia, Koweit, Marrocos, Paquistão e Sudão.

 

Este sismo diplomático tem lugar 15 dias depois de uma visita a Riade do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o qual pediu aos países muçulmanos para agirem de forma decisiva contra o extremismo religioso.

 

Estes desenvolvimentos representam um grave revés para o Qatar que, independentemente do seu papel regional, vai acolher o Mundial de Futebol de 2022.

 

 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
joao 05.06.2017

coitadinhos dos RESSABIADOS que aqui pairam do PAF! metem pena, mas tenho uma boa noticia! ainda faltam + de 2 anos de GERINGONÇA e pelo andar da CARRUAGEM a coisa vai perdurar. Falai do VOSSO MNE MAchete que esse sim era um orgulho (para os burros)

Conselheiro de Trump 05.06.2017

Mais 1 q passa a vida a encher ALHEIRAS.Desde q o selfie refugado passou a ministro dos negocios estrangeiros(negocios,negocios,GOSMIA,assim e q esta correcto)o numero 2 ja nao voa mais na primeira classe.Estou certo de q quem fez o mal,quando nao se sentir bem com ele,vai saber como afastar-se dele

Mr.Tuga 05.06.2017

"perturbador" é esta figurinha patetica ser ministro e dos NE.....

Anónimo 05.06.2017

Ui, logo agora que ias sacar uns cobres... pena...

pub
pub
pub
pub