Europa Portugal e Espanha defendem "novo impulso" na convergência económica na UE

Portugal e Espanha defendem "novo impulso" na convergência económica na UE

Portugal e Espanha reiteraram esta terça-feira, no final da cimeira entre ambos os países, o "pleno compromisso" com a Europa, mas defenderam que a convergência económica na União Europeia (UE) deve ter um "novo impulso".
Portugal e Espanha defendem "novo impulso" na convergência económica na UE
Manuel Bento/Cofina
Lusa 30 de maio de 2017 às 12:53

"Ambos os Governos entenderam que a UE deve nortear a sua acção pelos valores da solidariedade e da coesão, atentos sobretudo os anseios e às preocupações dos cidadãos. Nesse sentido, as liberdades que são indissociáveis do mercado interno devem ser respeitadas ao máximo, em particular a livre circulação de trabalhadores. A convergência económica entre os Estados-membros deve igualmente merecer um novo impulso", lê-se na declaração conjunta subscrita por Portugal e Espanha.

 

A referência ao espaço europeu é um dos destaques da declaração conjunta que marca o fim de dois dias de trabalho em Vila Real entre Portugal e Espanha, cujas delegações foram lideradas pelos respectivos chefes de governo, António Costa e Mariano Rajoy.

 

Ainda no plano europeu, Portugal e Espanha advogam que é numa UE "forte e unida" que reside a resposta aos problemas dos cidadãos e que as cimeiras dos países do sul do continente têm sido palco para a proposta de "soluções concretas para os problemas comuns à União e para o debate fundamental sobre o futuro do projecto europeu".

 

É ainda sublinhado pelos dois países o "compromisso com políticas orçamentais responsáveis e sustentáveis, que visem promover o crescimento, o investimento, a criação de emprego e a coesão social".

 

"Há que promover uma verdadeira orientação europeia para as políticas fiscais que permita avançar rumo a uma maior integração fiscal e, em última instância, à criação de uma verdadeira capacidade orçamental para a área do euro", é também referido na declaração final conjunta.

 

Igualmente no campo internacional, Lisboa e Madrid sublinham o agrado pela eleição de António Guterres para secretário-geral das Nações Unidas e saúdam "as prioridades por ele identificadas para o cumprimento do seu mandato".

 

A 29.ª cimeira bilateral entre Portugal e Espanha arrancou na segunda-feira e terminou hoje, em Vila Real, com os executivos de ambos os países a assegurarem o reforço da cooperação transfronteiriça em áreas como energia, infra-estruturas e ambiente.

 

As cimeiras ibéricas são reuniões anuais bilaterais lideradas pelo chefe do Governo de Espanha e pelo primeiro-ministro de Portugal e nas quais se discutem questões de interesse para ambos os executivos e projectos de cooperação entre os dois países.

 

Esta foi a primeira reunião do género com António Costa como chefe do Governo de Portugal, já que em 2016 não decorreu a cimeira devido à conjuntura política de Espanha, na altura com um executivo de gestão.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub