Ambiente Portugal e Espanha devem coordenar esforços para uso sustentável da água

Portugal e Espanha devem coordenar esforços para uso sustentável da água

A União Internacional para a Conservação da Natureza considera que Portugal e Espanha "devem coordenar esforços para promover o uso sustentável da água e a protecção de ecossistemas aquáticos".
Portugal e Espanha devem coordenar esforços para uso sustentável da água
Cofina Media
Lusa 28 de dezembro de 2017 às 23:12

A recomendação consta no relatório, hoje divulgado, "Áreas-chave da biodiversidade de água doce na sub-região do noroeste do Mediterrâneo" e tem como um dos enfoques os recursos ribeirinhos transfronteiriços de Portugal e Espanha, como os rios Douro e Tejo.

 

A organização (IUCN, na sigla em inglês) recomenda que Portugal e Espanha apliquem na íntegra os princípios da Directiva-Quadro da Água da União Europeia e a Convenção das Nações Unidas para a Utilização dos Cursos de Água Internacionais.

 

De acordo com o relatório, Portugal tem mais de 30 espécies em áreas consideradas chave em termos de biodiversidade de água doce, e que incluem peixes, plantas, insectos e moluscos, a maioria ameaçados.

 

Estas áreas, que não são transfronteiriças, estendem-se, nomeadamente, pelos rios Arade, Mira, Sado, Vouga, Alcabrichel, Sizandro e Safarujo.

 

Uma das espécies, endémica de Portugal, é o ruivaco-do-oeste, que vive nos rios Alcabrichel, Sizandro e Safarujo e a evoluir para o estado de "em perigo" ou "criticamente em perigo", devido à poluição doméstica e agrícola, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

 

Outra espécie nesta condição é o molusco com o nome científico "Belgrandia alcoaensis", do rio Alcoa, que nasce no concelho de Alcobaça.

 

Portugal e Espanha juntos têm mais de 80 espécies ameaçadas de peixes, moluscos, insectos e plantas em "áreas-chave de biodiversidade de água doce", banhadas pelos rios transfronteiriços do Douro, Tejo, Guadiana e Minho.

 

"Áreas-chave de biodiversidade de água doce" são, por definição, locais importantes para a manutenção global da biodiversidade de espécies e ecossistemas, neste caso na sub-região do noroeste do Mediterrâneo.

 

O relatório da União Internacional para a Conservação da Natureza apresenta ainda resultados para França, Itália e Malta.

 

A lista das principais ameaças às espécies de água doce na sub-região analisada inclui barragens e captações de água para irrigação e consumo humano, espécies exóticas e poluição doméstica e agrícola.

 

A União Internacional para a Conservação da Natureza avisa que o aumento da seca no sul da Europa, causado pelas alterações climáticas, levará nos próximos dez anos a uma diminuição da população de uma espécie de libelinha nativa de Portugal, Espanha e França, a "Macromia splendens".

 

Portugal faz parte da União Internacional para a Conservação da Natureza através do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, da Associação de Defesa do Património de Mértola, do Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens, da Quercus e da Liga para a Protecção da Natureza.

 

A IUCN integra organizações governamentais e não-governamentais de mais de 170 países em defesa da conservação da natureza.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Mr.Tuga 29.12.2017

Vários especialistas alertam que a ÁGUA (esse recursos PRECIOSO e cada vez mais ESCASSO) vai ser o principal motivo CONFLITOS MILITARES no MUNDO!
Os tugas SEBENTOS sem consciência ou preocupação ambiental nada fazem....
Espanha vai fazendo transvazes dos principais rios... O tuga a ver navios....

Mr.Tuga 29.12.2017

Os espanhóis não brincam e já estão a acautelar os seus interesses "recursos ÁGUA".

O tuga SEBENTO está-se a cagar* pró assunto e ainda vai POLUINDO os poucos rios tugas! POUPANÇA? RACIONALIZAÇÃO?
Quando as barragens estiverem a ZERO logo se vê... A UE resolve!
Sitio TRAMPA ATRASADO!

General Ciresp 29.12.2017

Tantas zangas ha entre vizinhos,as vezes ate se matam por causa do ribeiro publico q corre por entre terrenos de ambos.Infeliz/portugal encontra-se na parte inferior a todos os niveis:pequeno,pouca forca e a merce.So se toca o sino a rebate quando o problema aparec,tarde demais.Que o tempo nos ajude

pub