Tecnologias Portugal é o país onde o emprego em tecnológicas mais cresceu desde 2011

Portugal é o país onde o emprego em tecnológicas mais cresceu desde 2011

Não obstante o acelerado crescimento nos últimos anos, na comparação com os demais países da UE a percentagem do emprego garantido por empresas tecnológicas continua a ser das mais baixas.
Portugal é o país onde o emprego em tecnológicas mais cresceu desde 2011
Eva Gaspar 25 de Outubro de 2016 às 12:31

Portugal é o país da União Europeia (UE) onde, nos últimos anos, mais cresceu a proporção de população empregada pelo sector das tecnologias de informação e comunicação (TIC).  

De acordo com dados divulgados nesta terça-feira, 25 de Outubro, pelo Eurostat, o peso de especialistas em TIC no emprego total passou de 1,4% em 2011 para 2,3% em 2015, o que representa um universo de menos de 105 mil pessoas.

Não obstante este salto – o maior neste período, entre os 28 países da União -, Portugal continua na cauda da Europa quando se olha para a fatia do emprego garantida pelas tecnológicas, estando em 23.º lugar, aquém da média europeia (3,5%), numa tabela liderada pela Finlândia (6,5%) e que tem a Grécia no outro extremo (1,2%).

Os últimos dados disponíveis referentes a 2015 indicam que cerca de oito milhões de pessoas estavam ocupadas em toda a União como especialistas em TIC, um indicador importante para avaliar a capacidade das economias europeias de se adaptarem a um mundo cada vez mais digitalizado.

Esta profissão continua a ser, em grande parte, composta por homens, que representam 83,9% do emprego neste sector que exige qualificações elevadas: 60,5% dos que trabalham em TIC têm, pelo menos, grau académico equivalente a licenciatura.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub