Mercado de Trabalho Portugal é o segundo país da UE com o desemprego a cair mais rápido

Portugal é o segundo país da UE com o desemprego a cair mais rápido

A taxa de desemprego na Zona Euro atingiu em Novembro um novo mínimo desde Janeiro de 2009. Portugal passou a ter uma taxa inferior à Finlândia.
Portugal é o segundo país da UE com o desemprego a cair mais rápido
Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro 09 de janeiro de 2018 às 10:47

A descida da taxa de desemprego em Portugal foi a segunda mais acentuada entre todos os países da União Europeia, de acordo com os dados do Eurostat publicados esta terça-feira, 9 de Janeiro.

 

Tal como o INE já tinha anunciado ontem, a taxa de desemprego em Portugal desceu para 8,2% em Novembro, o que representa o valor mais baixo desde Dezembro de 2014 e uma queda de 2,3 pontos percentuais face ao mesmo mês do ano passado.

 

De acordo com o Eurostat, só na Grécia o desemprego está a descer de forma mais rápida, embora a comparação não seja para o mesmo espaço temporal e os valores sejam muito mais elevados. A taxa de desemprego na Grécia desce de 23,2% em Setembro de 2016 para 20,5% em Setembro do ano passado.

 

Na Zona Euro a taxa de desemprego desceu uma décima face a Outubro, em linha com o estimado pelos economistas, para 8,7%, o que representa o nível mais baixo desde Janeiro de 2009. Na UE caiu para 7,3%, mínimos de Outubro de 2008.

 

Com esta evolução, a taxa de desemprego é Portugal já se situa meio ponto percentual abaixo da média da Zona Euro. Tendo em conta todos os países da União Europeia, a taxa de desemprego em Portugal é a oitava mais elevada, o que compara com o terceiro lugar ocupado durante a altura mais aguda da crise (só atrás da Grécia e Espanha).

 

No mês de Novembro, Portugal passou a ter uma taxa de desemprego mais reduzida do que a Finlândia.

 

No pólo oposto, a República Checa, Alemanha e Malta continuam apresentar as taxas de desemprego mais reduzidas da União Europeia, abaixo de 4%.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Coisas do Diabo 09.01.2018

No tempo do aldrabão da tecnoforma era 18%

julio 09.01.2018

Quem mente és tu, Anónimo faccioso. Devias ter escrito rapidaMINTO.

Anónimo 09.01.2018

rapidaMENTE

pub