Economia Portugal e Tunísia prometem cooperar em casos de catástrofe e previsão de riscos

Portugal e Tunísia prometem cooperar em casos de catástrofe e previsão de riscos

Os governos português e tunisino assinaram esta segunda-feira um acordo global de cooperação na área da Protecção Civil, prevendo ações conjuntas na previsão e protecção de riscos naturais e tecnológicos e assistência mútua em caso de catástrofe.
Portugal e Tunísia prometem cooperar em casos de catástrofe e previsão de riscos
Bloomberg
Lusa 20 de novembro de 2017 às 21:48

Esta foi a área mais relevante do conjunto de acordos que resultou hoje da 4.ª Cimeira Luso-Tunisina, em Tunes, que durou cerca de três horas.

 

Numa cerimónia presidida pelos chefes de Governo de Portugal, António Costa, e da Tunísia, Youssef Chabed, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e o seu homólogo tunisino comprometeram-se no sentido de dar "um salto qualitativo" nas relações entre os dois países nos domínios da Protecção Civil, controlo de fronteiras, e da prevenção e combate ao terrorismo.

 

Portugal e a Tunísia assinaram acordos para a "protecção e salvaguarda de pessoas, bens e ambiente ameaçados por catástrofes", mas também ao nível da "formação na protecção civil com intercâmbio de especialistas e peritos".

 

Os dois países comprometem-se ainda a prestar assistência mútua em casos de catástrofes naturais e acidentes graves de ordem tecnológica

 

Em declarações aos jornalistas, Eduardo Cabrita referiu que, a partir de agora, com a Tunísia, "vai haver uma partilha de informação sobre experiências na área da Protecção Civil, envolvendo a Autoridade Nacional portuguesa (ANPC) e o serviço congénere tunisino.

 

"Ter-se-á em conta a preparação na resposta a catástrofes naturais e tecnológicas, assim como preparação comum para zonas de risco, designadamente na área do Mediterrâneo", declarou o membro do Governo português.

 

No campo do terrorismo, Eduardo Cabrita salientou que Portugal será "solidário em relação ao esforço que tem vindo a ser feito pela Tunísia". "Haverá colaboração portuguesa em domínios como o controlo de fronteiras, formação de quadros nas áreas de segurança pública e na prevenção do terrorismo", acrescentou o ministro dos Negócios Estrangeiros.

 

Nesta 4.ª Cimeira Luso-Tunisina, pela parte do Governo português, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, assinou ainda mais três acordos de cooperação em áreas como a formação profissional e emprego, Ensino Superior e investigação científica e transportes.

 

Se, no caso do Ensino Superior, da investigação científica e da formação profissional, os governos de Tunes e de Lisboa prometem facilitar a mobilidade de quadros e o intercâmbio de experiências, no caso dos transportes haverá a partir de agora "um reforço da cooperação no sector das obras públicas, sobretudo ao nível das infra-estruturas terrestres".

 

O acordo assinado prevê igualmente mecanismos de colaboração na gestão de empresas de transportes marítimos, de construção e reparação naval.

 

Ainda segundo o texto subscrito pelos dois executivos, Portugal e a Tunísia vão desenvolver ações de cooperação em matéria de exploração de aeroportos, assim como parcerias entre empresas de transportes (públicas ou privadas) dos dois países.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 3 semanas

A Tunisia tem muito a aprender com tugaL. Por exemplo com os INCENDIOS e a GESTÃO DE ÁGUA em tempo de seca EXTREMA.....

pub