Conjuntura Portugal mantém o quarto maior défice comercial da Zona Euro

Portugal mantém o quarto maior défice comercial da Zona Euro

No acumulado dos primeiros onze meses de 2016 as exportações e as importações portuguesas estagnaram face ao mesmo período do ano anterior.
Portugal mantém o quarto maior défice comercial da Zona Euro
Pedro Elias
Nuno Carregueiro 16 de janeiro de 2017 às 10:26

Portugal registou um défice da balança comercial de 9,4 mil milhões de euros nos primeiros onze meses de 2016, um agravamento de 100 milhões de euros face ao mesmo período do ano anterior.


De acordo com os dados divulgados pelo Eurostat, Portugal continuam assim a apresentar o quarto registo mais elevado entre os países da Zona Euro, uma tendência já registada em 2015 no que diz respeito à transacção de mercadorias com o exterior.


Os restantes países do Sul da Europa apresentam défices comerciais superiores aos de Portugal e apenas Espanha o conseguiu reduzir. O desequilíbrio da balança de bens em França agravou-se para 61,8 mil milhões de euros, baixou em Espanha para 16,8 mil milhões de euros e subiu na Grécia também para 16,8 mil milhões de euros.


O agravamento ligeiro do défice comercial de Portugal surge depois da estagnação das exportações e das importações.

As vendas ao exterior estabilizaram nos 46,2 mil milhões de euros, com as exportações para dentro da União Europeia a subiram 4% e para fora a descerem 10%. Já as importações ficaram em 55,6 mil milhões de euros, com as compras na UE a subirem 2% e fora da UE a descerem 7%. Para apurar o valor final do saldo entre exportações e importações em Portugal falta incluir os dados dos serviços, onde Portugal habitualmente é excedentário nas transacções com o exterior.

No conjunto da Zona Euro, as exportações em Novembro aumentaram 6% para 184,2 mil milhões de euros, enquanto as importações cresceram 5% para 158,3 mil milhões de euros. O excedente comercial aumentou assim para 22,9 mil milhões de euros em Novembro, situando-se em 248,2 mil milhões de euros no acumulado dos primeiros onze meses de 2016.

A Alemanha é a grande responsável por este excedente na balança de bens da Zona Euro, já que sozinha registou um excedente de 238,3 mil milhões de euros. Na maior economia da Europa as exportações aumentaram 1% nos primeiros onze meses do ano e as importações estabilizaram.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub