Economia Portugal é o país da Europa onde mais horas se trabalha

Portugal é o país da Europa onde mais horas se trabalha

Valor do trabalho não remunerado ascende a 53% do PIB nacional.
Carla Pedro 12 de Abril de 2011 às 15:15
Portugal é o país europeu da OCDE que mais horas trabalha, segundo um estudo da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Económico para 26 dos seus 34 membros.

Apesar de o estudo sobre horas de trabalho, realizado pela OCDE, concluir que é na Europa Ocidental que menos horas se trabalha (sendo fora do Velho Continente que estão os patamares laborais horários mais elevados), Portugal foge à regra, já que as horas totais de trabalho diário (remunerado e não remunerado) ascendem a 8,79.

A trabalharem mais do que os portugueses, na OCDE, só estão os mexicanos (9,9 horas por dia) e os japoneses (9 horas diárias). No fim do "ranking" está a Bélgica, com 7,1 horas. A média total da OCDE é de 8 horas por dia.

Apesar de Portugal ser o país da Europa onde mais horas se trabalha por dia, esse resultado não se reflecte em termos de produtividade, já que este é um aspecto que o País tem de melhorar.

Em matéria de horas não remuneradas, Portugal também ocupa o lugar cimeiro da lista (em termos europeus) elaborada pela Organização, com 3,8 horas por dia. Acima, está o México com 4,2 horas diárias, a Turquia com 4,1 horas e a Austrália com 4,05 horas. A Coreia do Sul é onde se encontram menos horas diárias não remuneradas (2,2 horas).

Entre as funções não remuneradas conta-se o tempo passado a cozinhar (os americanos despendem menos tempo por dia com esta tarefa – 30 minutos – e os turcos são os que gastam mais tempo na cozinha: 74 minutos), bem como a fazer compras, a limpar a casa e a prestar cuidados.

Trabalho não remunerado vale 53% do PIB

O relatório da OCDE pretendeu igualmente estimar qual o valor, em percentagem do PIB, do trabalho não remunerado – isto para os 25 países da OCDE para os quais este dado estava disponível. E concluiu que o valor do trabalho não remunerado é considerável, sendo equivalente a cerca de um terço do PIB nos países membros da Organização, desde um mínimo de 19% na Coreia do Sul a um máximo de 53% em Portugal.

Quanto a horas remuneradas, Portugal ocupa a sétima posição, com 4,91 horas, sendo suplantado pelo Japão (6,27 horas), Coreia (5,80), México (5,69), China (5,66), Canadá (5,33) e Áustria (5,10).

Este estudo da OCDE incidiu sobre 26 dos seus 34 países membros e também a China, Índia e África do Sul. Os oito membros da OCDE que não estão incluídos no estudo são o Chile, República Checa, Eslováquia, Grécia, Islândia, Israel, Suíça e Luxemburgo.



A sua opinião29
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Gr?Vasco 12.04.2011

há que distinguir entre trabalho e horas no emprego, são duas coisas diferentes. Esta problema não é provocado pelo trabalhador em si mas sim pelos supervisores que não percebem puto de liderança e produtividade. Não é por acaso que o trabalhador portugues no estrangeiro é dos mais produtivos.

comentários mais recentes
asCetaqxpanh Há 2 semanas

http://crestorgeneric.date/ - crestor generic http://seroquel-generic.trade/ - seroquel http://acyclovir400mg.in.net/ - acyclovir 800 mg http://neurotin.date/ - our website http://advairdiskus.in.net/ - advair

asCeta7xzwvw Há 3 semanas

http://baclofen10mg.cricket/ - baclofen http://doxycyclineprice.click/ - doxycycline http://lisinoprilonline.trade/ - buy lisinopril online http://mobic-drug.cricket/ - mobic

MacedoBarros 13.04.2011

Onde se trabalha mais e pior! A avaliar pelo funcionamento de tudo, trabalha-se muito tempo, o que cansa e desmotiva, mas sem eficiência (uso de maus recursos) e sem eficácia (não se atingem objectivos). As sucessivas crises são o corolário disto tudo! Sucessivos atestados de incompetência!

espoliado 13.04.2011

nem que os operários trabalhassem 25 horas por dia conseguiam ser produtivos. Fechem mas é todas essas chafaricas e acabem com a mama desses parasitas. Eu, nem por 5 mil contos por mês faria alguma coisa para esses chulos.

ver mais comentários
pub