Segurança Social Portugal entre os países com pior posição na sustentabilidade das pensões

Portugal entre os países com pior posição na sustentabilidade das pensões

Portugal desceu quatro posições entre 2014 e 2016 no 'ranking' da Allianz relativo à sustentabilidade das pensões, ocupando a 42.ª posição de uma lista de 54 países em 2016, divulgou hoje a companhia de seguros e gestora de activos.
Portugal entre os países com pior posição na sustentabilidade das pensões
Lusa 06 de Outubro de 2016 às 14:44

Países como Espanha (45), China (53) ou Tailândia (54) ficaram atrás de Portugal, numa lista onde a Austrália, a Dinamarca, a Suécia, a Holanda e Noruega se apresentam com os sistemas de pensões mais sustentáveis.

 

Apesar da queda de Portugal, assim como da Croácia, Irlanda, Itália, Rússia e Suíça, segundo a Allianz, desde 2014, um número substancial de países melhorou a sustentabilidade dos respectivos sistemas de pensões

 

O Allianz Pensions Sustainability Index 2016 foi realizado em 54 países.

 

"Apesar das populações estarem a envelhecer mais rapidamente do que o previsto anteriormente, as reformas efectuadas estão a conduzir as pensões para um caminho mais sustentável", destaca o estudo.

 

De acordo com a responsável pela divisão internacional dos sistemas de pensões, Brigitte Miksa, citada na nota, "as reformas de pensões iniciadas em muitos países há uma década - aumento da idade de reforma, diminuição dos benefícios em linha com o aumento da esperança de vida - começam agora a dar os seus frutos. O comportamento social também mudou, à medida que as pessoas foram reagindo aos incentivos oferecidos e que resultam das reformas efectuadas".

 

No caso português, a demografia é apontado como o factor que mais "pesa" sobre o sistema de pensões do país, destaca a Allianz.

 

"Em Portugal, a idade de reforma aumentou de 65 para 66 em 2014 e vai continuar a depender de mudanças futuras na esperança de vida", destaca o estudo.

 

"É necessário fazer mais para tornar o sistema de pensões mais sustentável, em especial porque espera-se um envelhecimento populacional mais rápido nas próximas décadas", explica a autora do relatório Mylène Sabatini, igualmente citada na nota. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 06.10.2016


SALÁRIO MÉDIO DOS PROFESSORES PORTUGUESES É O 3.º MAIS ALTO DA EUROPA, EM 2015.

"No caso dos docentes com salários mais altos, em que o rendimento dos docentes é superior ao PIB per capita, Portugal aparece em destaque como o terceiro com salários mais elevados da Europa: Bosnia Herzegovina (327%), Chipre (282%) e Portugal (245%)."

Relatório da Eurydice.

comentários mais recentes
Anónimo 06.10.2016


Comemorações Oficiais

FP – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES DO PRIVADO

Porque é que 4 500 000 de trabalhadores privados têm de continuar a pagar a reposição dos salários e das mordomias dos 500 000 funcionários públicos?

É uma medida populista que vai enterrar o país em mais 10 000 milhões € nos próximos anos!

Chega de mordomias para os funcionários públicos, são as 35 horas de trabalho, os dias de férias que começam nos 25 dias, as reformas muito acima dos restantes mortais e com muito menos anos de descontos, o bloco de "desculpas" para faltar ao trabalho, as inúmeras greves dos inúteis sindicatos, da impossibilidade de serem despedidos.

Este é um governo populista, que não sabe o que é governar, não sabe fazer contas, nem orçamentos e que a curto prazo pode levar este país a nova banca rota!

Anónimo 06.10.2016


Comemorações Oficiais

FP – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES DO PRIVADO

GORDURAS DO ESTADO

As Gorduras & Mordomias do Estado são, na sua maioria, os salários e pensões da FP.

Valor anual das pensões e salários da FP = 30 000 milhões de euros.

Resposta de GabrielOrfaoGoncalvesa Anónimo 06.10.2016

Por obséquio pode dizer-me onde foi buscar as informações que o levam a fazer a afirmação "SALÁRIO MÉDIO DOS PROFESSORES PORTUGUESES É O 3.º MAIS ALTO DA EUROPA, EM 2015" ?

É que não encontro nada no relatório citado que o fundamente. E já agora... é o 3º mais alto em termos absolutos ou em % do PIB per capita?

O que a notícia diz é «Já no caso dos docentes com salários mais altos [mais altos, e não médios!], na maioria dos países o rendimento dos docentes é superior ao PIB per capita e, aqui, Portugal aparece em destaque como o terceiro com mais rendimentos: Bosnia Herzegovina (327%), Chipre (282%) e Portugal (245%).»

É a única parte da notícia onde se faz referência a um "3º lugar": quanto aos salários MAIS ALTOS (destacado meu).

Agradeço a sua explicação.

A notícia está aqui:
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/educacao/detalhe/salario_medio_dos_professores_portugueses_proximo_dos_valores_minimos.html

Resposta de GabrielOrfaoGoncalvesa Anónimo 06.10.2016

O meu comentário sobre a remuneração dos professores destinava-se a outro comentário.

Anónimo 06.10.2016


SALÁRIO MÉDIO DOS PROFESSORES PORTUGUESES É O 3.º MAIS ALTO DA EUROPA, EM 2015.

"No caso dos docentes com salários mais altos, em que o rendimento dos docentes é superior ao PIB per capita, Portugal aparece em destaque como o terceiro com salários mais elevados da Europa: Bosnia Herzegovina (327%), Chipre (282%) e Portugal (245%)."

Relatório da Eurydice.

Resposta de GabrielOrfaoGoncalvesa Anónimo 06.10.2016

Por obséquio pode dizer-me onde foi buscar as informações que o levam a fazer a afirmação "SALÁRIO MÉDIO DOS PROFESSORES PORTUGUESES É O 3.º MAIS ALTO DA EUROPA, EM 2015" ?

É que não encontro nada no relatório citado que o fundamente. E já agora... é o 3º mais alto em termos absolutos ou em % do PIB per capita?

O que a notícia diz é «Já no caso dos docentes com salários mais altos [mais altos, e não médios!], na maioria dos países o rendimento dos docentes é superior ao PIB per capita e, aqui, Portugal aparece em destaque como o terceiro com mais rendimentos: Bosnia Herzegovina (327%), Chipre (282%) e Portugal (245%).»

É a única parte da notícia onde se faz referência a um "3º lugar": quanto aos salários MAIS ALTOS (destacado meu).

Agradeço a sua explicação.

A notícia está aqui:
http://www.jornaldenegocios.pt/economia/educacao/detalhe/salario_medio_dos_professores_portugueses_proximo_dos_valores_minimos.html

pub
pub
pub
pub