Conjuntura Portugal mantém o quarto maior défice comercial da Zona Euro

Portugal mantém o quarto maior défice comercial da Zona Euro

As exportações e importações registaram a mesma variação nos primeiros oito meses do ano, pelo que o défice comercial permaneceu em 6,7 mil milhões de euros, o quarto valor mais elevado entre os países do euro.
Portugal mantém o quarto maior défice comercial da Zona Euro
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 14 de Outubro de 2016 às 10:37

A diferença entre as exportações e importações de bens em Portugal ascendeu a 6,7 mil milhões de euros nos primeiros oito meses deste ano, igualando o valor registado entre Janeiro e Agosto do ano passado.


Estes dados, revelados pelo Eurostat esta manhã, indicam que Portugal continua a ser o quarto país da Zona Euro com o défice comercial mais elevado. França (-42,8 mil milhões de euros), Grécia (-12,2 mil milhões de euros) e Espanha (-11,5 mil milhões de euros) são os países do Euro que apresentam a balança comercial mais desequilibrada. Os valores revelados pelo gabinete de estatística da Comissão Europeia não estão em percentagem do PIB.

 

Tal como o Instituto Nacional de Estatística (INE) já tinha revelado, as exportações de mercadorias das empresas portuguesas desceram 1% para 32,8 mil milhões de euros nos primeiros oito meses do ano e as importações registaram a mesma queda, para 39,5 mil milhões de euros.

 

Apesar da balança comercial portuguesa continuar deficitária, a economia apresenta um excedente externo. Dados revelados quinta-feira pelo Banco de Portugal mostram que no ano terminado em Junho, a economia portuguesa registou um excedente externo de 1,2% do PIB.

 

Segundo o Eurostat, a Zona Euro registou um excedente comercial de 178,7 mil milhões de euros nos primeiros oito meses do ano, um acréscimo face aos 151,9 mil milhões de euros registados no mesmo período do ano passado.

 

Uma tendência que se deve à queda de 3% nas importações, que superou a descida de 1% verificada nas exportações.

 

O excedente da balança comercial da Zona Euro é justificado em grande parte pelo comportamento do comércio externo da Alemanha, que gerou um excedente de 172,7 mil milhões de euros (acima dos 165,9 mil milhões de euros verificados no período homólogo).




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado pdlp Há 3 semanas

Com esta caranguejola comuna a des(governar) o rectângulo não vai tardar a termos necessidade de eleger a Direita para ajudar, de novo, a salvar o país.

Logo que a Direita ponha o país com algumas melhorias logo vêm os comunas roubar o pouco que se tiver conseguido amealhar.

Sempre tem sido assim e sempre assim vai continuar a ser.

Estranho muito o Sr PR permitir que a caranguejola continue a puxar o país abismo abaixo, até parece que ele está conivente com a comunada por alguma birrinha de comadres.

Pobre país que tão maus dirigentes crias.

comentários mais recentes
pdlp Há 3 semanas

Com esta caranguejola comuna a des(governar) o rectângulo não vai tardar a termos necessidade de eleger a Direita para ajudar, de novo, a salvar o país.

Logo que a Direita ponha o país com algumas melhorias logo vêm os comunas roubar o pouco que se tiver conseguido amealhar.

Sempre tem sido assim e sempre assim vai continuar a ser.

Estranho muito o Sr PR permitir que a caranguejola continue a puxar o país abismo abaixo, até parece que ele está conivente com a comunada por alguma birrinha de comadres.

Pobre país que tão maus dirigentes crias.

Carlos Castanheiro Há 3 semanas

Então mas não era suposto, numa economia capitalista, de mercado e tudo mais, serem os superiores privados a gerar valor acrescentado à economia? Se sim, porque é que os 2 primeiros comentários são contra o governo?

Rui Delvas Há 3 semanas

E eu a pensar que os geringonceiros iam exportar à bruta. Enganei-me.

Jose Joia Há 3 semanas

Parabéns aos nossos Políticos.Para fazer isto não precisamos de tantos deputados gulosos

ver mais comentários
pub