Política PR espera que Governo dure uma legislatura sem crises políticas

PR espera que Governo dure uma legislatura sem crises políticas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje esperar que "o Governo dure uma legislatura" e que "não haja crises políticas" neste período.
PR espera que Governo dure uma legislatura sem crises políticas
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 25 de novembro de 2017 às 16:07
"É bom que haja um Governo forte e uma oposição forte para poder ser alternativa, sendo essa a vontade dos portugueses", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, no Porto, a propósito dos dois anos do actual Governo, que estão a ser assinalados neste fim de semana.

O Presidente da República falava aos jornalistas no final de uma visita à exposição "Germano Silva – O Porto no Coração", hoje inaugurada na Fundação Manuel António da Mota.

"É bom que o Governo tenha presente uma série de metas que foram definidas no seu início e que são importantes em matéria de política externa, de política de defesa, em matéria económica e financeira", disse.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu ainda que é preciso que o Governo cumpra "um objectivo nacional que os portugueses interiorizaram de finanças sãs, com isso contribuindo para o crescimento económico e para a criação de emprego".

"Este ano revelou um outro desígnio nacional, que é olhar para aquele Portugal que por vezes é esquecido e evitar que voltem a ocorrer as tragédias que ocorreram este ano. Já são muitos desígnios para um só Governo", acrescentou.

A esta distância do termo do mandato, "o que o Presidente espera é que estas linhas de orientação tenham sucesso", referiu o chefe de Estado, afirmando que cabe a esta figura "acompanhar o grau de realização ou de preenchimento com sucesso destes objectivos".

Questionado sobre se o relacionamento com o Governo tem sido fácil, Marcelo Rebelo de Sousa disse ter "uma visão da Constituição e uma personalidade que torna fácil trabalhar com qualquer órgão de soberania - a Assembleia da República, o Governo, tribunais, órgãos de não-soberania, das regiões autónomas ou poder local".

"Até agora tem havido um funcionamento sem crises políticas e com estabilidade institucional na relação com o parlamento - que é muito diversificado -, com o Governo, com o poder judicial e com outras instâncias de poder", frisou.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub