Defesa Praças: "Não há militares suficientes" para garantir segurança dos espaços vitais das Forças Armadas

Praças: "Não há militares suficientes" para garantir segurança dos espaços vitais das Forças Armadas

A Associação de Praças (AP) sustentou esta terça-feira que não há militares suficientes para garantir a segurança dos espaços vitais das Forças Armadas e exigiu o apuramento de todas as responsabilidades no furto de material militar em Tancos.
Praças: "Não há militares suficientes" para garantir segurança dos espaços vitais das Forças Armadas
Ricardo Ponte
Lusa 18 de julho de 2017 às 19:37

Na primeira tomada de posição sobre o furto de material militar nos paióis de Tancos, Santarém, a AP manifestou "estupefacção" pelo assalto, que considerou de "extrema gravidade" e exigiu "ver apurado tudo o que se passou" e retiradas todas as consequências "doa a quem doer".

 

Para a AP, "não basta pedir a demissão do ministro da Defesa Nacional", considerando que "o que é necessário é exigir uma política diferente". "Não há militares em número suficiente para garantir a segurança dos espaços vitais pertencentes às Forças Armadas e por conseguinte garantir a defesa da soberania nacional", sustentou a Associação de Praças.

 

Quanto à forma como o chefe do Exército geriu este caso, a AP manifestou estranheza quanto à exoneração de cinco comandantes e a sua renomeação para os mesmos cargos, duas semanas depois.

 

"Não pretendemos fazer qualquer juízo de valor em relação à conduta desses oficiais. O que não se compreende é que não se chegando a nenhuma conclusão sobre o inquérito ao assalto aos paióis de Tancos, os mesmos que foram afastados sejam readmitidos", referiu a AP. 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 dias

Mas isso só não sabe quem não quer! Já há mais graduados do que praças! Isto sim... é democracia (dos tachos e mordomias). Para os senhores generais tem de haver sempre... é só irmos a paradas militares e vermos o número de praças que desfilam e depois olharmos para a tribuna... é de cair para o lado!

Serviço militar tem que ser obrigatório.filhos do Há 2 dias

Mercenários só se defende a eles.fui militar mais de 4 anos e vi muitos truques dos comandos que até armas foram para os negros em troca de arte indisna.

País de oficiais Há 2 dias

Ao que isto chegou, se não há para os espaços vitais muito menos para os outros. Será possível os "responsáveis" conviverem com tal situação? E o povo a pensar que estava seguro. Os salários mais altos dá para quantos soldados?

Costa Há 2 dias

Não deve haver não, são quase todos generais. Então e o Vasco Lourenço com aquela inteligência que o carateriza não consegue resolver o problema. Ele que pense nisso entre as almoçaradas. Até porque talvez lhe fizesse baixar um pouco o colesterol.

pub
pub
pub
pub