Defesa Praças: "Não há militares suficientes" para garantir segurança dos espaços vitais das Forças Armadas

Praças: "Não há militares suficientes" para garantir segurança dos espaços vitais das Forças Armadas

A Associação de Praças (AP) sustentou esta terça-feira que não há militares suficientes para garantir a segurança dos espaços vitais das Forças Armadas e exigiu o apuramento de todas as responsabilidades no furto de material militar em Tancos.
Praças: "Não há militares suficientes" para garantir segurança dos espaços vitais das Forças Armadas
Ricardo Ponte
Lusa 18 de julho de 2017 às 19:37

Na primeira tomada de posição sobre o furto de material militar nos paióis de Tancos, Santarém, a AP manifestou "estupefacção" pelo assalto, que considerou de "extrema gravidade" e exigiu "ver apurado tudo o que se passou" e retiradas todas as consequências "doa a quem doer".

 

Para a AP, "não basta pedir a demissão do ministro da Defesa Nacional", considerando que "o que é necessário é exigir uma política diferente". "Não há militares em número suficiente para garantir a segurança dos espaços vitais pertencentes às Forças Armadas e por conseguinte garantir a defesa da soberania nacional", sustentou a Associação de Praças.

 

Quanto à forma como o chefe do Exército geriu este caso, a AP manifestou estranheza quanto à exoneração de cinco comandantes e a sua renomeação para os mesmos cargos, duas semanas depois.

 

"Não pretendemos fazer qualquer juízo de valor em relação à conduta desses oficiais. O que não se compreende é que não se chegando a nenhuma conclusão sobre o inquérito ao assalto aos paióis de Tancos, os mesmos que foram afastados sejam readmitidos", referiu a AP. 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 19.07.2017

Mas isso só não sabe quem não quer! Já há mais graduados do que praças! Isto sim... é democracia (dos tachos e mordomias). Para os senhores generais tem de haver sempre... é só irmos a paradas militares e vermos o número de praças que desfilam e depois olharmos para a tribuna... é de cair para o lado!

Serviço militar tem que ser obrigatório.filhos do 18.07.2017

Mercenários só se defende a eles.fui militar mais de 4 anos e vi muitos truques dos comandos que até armas foram para os negros em troca de arte indisna.

País de oficiais 18.07.2017

Ao que isto chegou, se não há para os espaços vitais muito menos para os outros. Será possível os "responsáveis" conviverem com tal situação? E o povo a pensar que estava seguro. Os salários mais altos dá para quantos soldados?

Costa 18.07.2017

Não deve haver não, são quase todos generais. Então e o Vasco Lourenço com aquela inteligência que o carateriza não consegue resolver o problema. Ele que pense nisso entre as almoçaradas. Até porque talvez lhe fizesse baixar um pouco o colesterol.

pub