Angola Presidente angolano exonera administração de todas as empresas públicas de comunicação social

Presidente angolano exonera administração de todas as empresas públicas de comunicação social

João Lourenço nomeou novos administradores para os cargos designados pelo anterior chefe de Estado, José Eduardo dos Santos.
Presidente angolano exonera administração de todas as empresas públicas de comunicação social
Miguel Baltazar
Negócios com Lusa 09 de novembro de 2017 às 19:46

O Presidente angolano, João Lourenço, exonerou hoje as administrações de todas as empresas públicas de comunicação social, tendo nomeado novos administradores para os cargos designados pelo anterior chefe de Estado, José Eduardo dos Santos.

 

De acordo com uma informação envida hoje à agência Lusa pela Casa Civil do Presidente da República, João Lourenço exonerou, por decreto, os conselhos de administração da Televisão Pública de Angola (TPA), Rádio Nacional de Angola (RNA), Edições Novembro (proprietária do Jornal de Angola) e Agência Angola Press (Angop).

O Negócios sabe que Vítor Silva (na foto) será o próximo director do Jornal de Angola. Lopes Paulo será o director da RNA e José Guerreiro foi o escolhido para liderar a televisão pública de Angola (TPA).

Os novos directores vão tomar posse na segunda-feira. Um facto inédito é de que será, pela primeira vez, o presidente da República a liderar a cerimónia de nomeação dos novos gestores dos orgãos de comunicação social público.

 
Caetano Pedro da Conceição Júnior passa a ser administrador executivo para os Conteúdos da Edições Novembro, José Alberto Domingos para Administração e Finanças, Carlos Alberto Molares D´Abril para a área Técnica, Mateus Francisco dos Santos Júnior para o Marketing, Publicidade e Vendas, enquanto Olímpio de Sousa e Silva e Catarina Viera Dias da Cunha ficam como administradores não executivos.

Na agência angolana de notícias Angop, Daniel Miguel Jeorge foi exonerado do cargo de presidente do conselho de administração, tendo João Lourenço nomeado para o seu lugar Jossué Salusuva Isaías, que já era administrador.

José Chimuco mantém-se como administrador executivo, agora para os Conteúdos, tendo sido ainda nomeada Engrácia Bernardo para a Administração e Finanças, Manuel Luzito André para a Área Técnica, e Lourenço Mutepa para Marketing e Intercâmbio, além de Anastácio Pinto Emídio de Brito e Júlia Maria Dias Rodrigues Mingas como não executivos.

O conselho de administração da rádio pública passa a ser presidido por Marcos António Quintino Lopes, enquanto Paula Simons fica como administradora executiva para os Conteúdos, Fidel Adão da Silva para Administração e Finanças, Cândido Rocha Pinto para a área Técnica, e Círia Monteiro Cassoma no Marketing e Intercâmbio, enquanto José Fernandes Cruz Neto e Aguinaldo Cahilo passam a administradores não executivos.  

No discurso de investidura como terceiro Presidente da República de Angola, João Lourenço abordou diretamente o setor da comunicação social, realçando que o país assistiu a um "assinalável progresso" na "qualidade da informação" desde o alcance da paz, em 2002, com mais órgãos de comunicação social e um "debate mais plural".

"Mas estamos conscientes de que ainda há muito por fazer e que estamos longe de atingir o ideal nessa matéria. Neste mandato, vamos assegurar um maior investimento público no setor da comunicação social, de modo que os angolanos tenham acesso a uma informação fidedigna em todo o território nacional", apontou João Lourenço, no seu discurso de 26 de Setembro.

"Apelo, pois, aos servidores públicos para que mantenham uma maior abertura e aprendam a conviver com a crítica e com a diferença de opinião, favorecendo o debate de ideias, com o fim último da salvaguarda dos interesses da Nação e dos cidadãos", disse na mesma ocasião, que marcou a transição no poder, após 38 anos de liderança de José Eduardo dos Santos.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Pepito Há 6 dias

Este senhor é pior que o sheltox.

Anónimo Há 1 semana

Quanto tempo é que este vai durar ?

pub