Economia Presidente chegou ao Funchal para "testemunhar solidariedade" ao povo madeirense

Presidente chegou ao Funchal para "testemunhar solidariedade" ao povo madeirense

O Presidente da República chegou hoje à tarde ao Funchal com o intuito de "testemunhar conforto, solidariedade e apoio" ao povo madeirense num "momento de dor", após uma queda de uma árvore que fez 13 vítimas mortais.
Presidente chegou ao Funchal para "testemunhar solidariedade" ao povo madeirense
Cofina Media
Lusa 15 de agosto de 2017 às 19:42
"Trata-se de uma realidade que chocou, senti isso, todos os portugueses", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações aos jornalistas à chegada ao arquipélago da Madeira.

"Era preciso testemunhar imediatamente esse conforto, essa solidariedade, esse apoio ao povo madeirense", prosseguiu o chefe de Estado português, ao lado do presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, indicando que irá deslocar-se ao local do incidente, ao hospital e às instalações da Proteção Civil local.

Questionado sobre o apuramento das responsabilidades, Marcelo Rebelo de Sousa disse que "neste momento de dor" o importante agora "é testemunhar a solidariedade, é testemunhar o conforto e estar junto daqueles que sofrem".

"Isso é que é importante", concluiu.

Treze pessoas morreram e 50 ficaram feridas na sequência da queda de uma árvore de grande porte ocorrida hoje durante a Festa do Monte.

O incidente ocorreu cerca das 12:00, num local onde se concentravam muitas pessoas para participar naquele que é considerado o maior arraial da Madeira, momentos antes de sair a procissão, que foi cancelada.

Fontes no local referem que a árvore estava amarrada há dois anos e o tronco estava oco.

No ano passado, as festividades de carácter mais profano deste arraial foram canceladas devido aos incêndios que afectaram o Funchal na segunda semana de Agosto.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

Portugal está severamente carente de cuidados primários. Isso é patente ao nível pessoal, familiar, social, etc. Por este andar ainda ficamos uns retardados mentais, alimentados a troco de nada. É simplesmente horrível...

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub