Ásia Presidente chinês apela a Trump para "diálogo" sobre Coreia do Norte

Presidente chinês apela a Trump para "diálogo" sobre Coreia do Norte

Os presidentes dos Estados Unidos e China, Donald Trump e Xi Jinping, respectivamente, abordaram hoje por telefone a situação na Coreia do Norte, informou a televisão estatal CCTV, numa altura de crescente tensão na península coreana.
Presidente chinês apela a Trump para "diálogo" sobre Coreia do Norte
Reuters
Lusa 12 de abril de 2017 às 07:32
Xi apelou ao diálogo como forma de resolver a crise na península, um dia depois de Trump ter afirmado que está preparado para "resolver o problema da Coreia do Norte" de forma unilateral e sem a ajuda da China, o principal aliado de Pyongyang.

O presidente chinês disse que Pequim continua comprometido com a desnuclearização da península coreana e que quer manter a paz e a estabilidade na região.

Xi afirmou ainda querer manter a coordenação com Trump para lidar com a escalada de tensões, após repetidos lançamentos de mísseis balísticos por parte de Pyongyang e do envio do porta-aviões norte-americano USS Carl Vinson para águas próximas da Coreia do Norte.

Os líderes falaram ainda do conflito sírio e Xi assegurou que o uso de armas químicas é "inaceitável".

O líder chinês defendeu, porém, a "via política" para solucionar a crise síria, uma semana depois de Trump ter lançado um ataque aéreo contra o regime de Bachar al Asad, numa represália pelo ataque químico perpetuado contra civis no norte do país.

Xi Jinping sublinhou o papel mediador das Nações Unidas, afirmando esperar que o Conselho de Segurança se mostre "unido", num momento de clara divisão entre os seus membros.

A chamada entre Xi e Trump foi feita poucos dias após ambos os líderes se reunirem na Flórida, no resort Mar-a-Lago, propriedade privada de Trump.

O líder chinês considerou que a cimeira na Flórida teve "grande êxito" e assegurou que foram alcançados acordos "importantes", assinalou a CCTV.

Um dos resultados da reunião foi o anúncio de um plano de acção de cem dias sobre o comércio entre EUA e China, as duas maiores economias do planeta.

Os EUA têm um déficit comercial de 310 mil milhões de dólares com a China.

Durante a campanha eleitoral, Trump acusou a China de "violar a economia americana" e "roubar" milhões dos seus postos de trabalho.

Na semana passada, antes do encontro com Xi, o líder norte-americano repetiu que "durante muitos anos" os Estados Unidos fizeram "horríveis acordos comerciais com a China".

Durante o encontro com Xi, Trump aceitou ainda o convite para visitar a China este ano.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado O Mundo 12.04.2017

Depois de ler o artigo na integra,mais uma vez fico informado que ter muita informação não é sinónimo de ser bem informado.Isto a propósito do boy Trump.`É que mesmo admitindo que o louro seja excentrico , quase tudo o que divulgaram antes das eleições temos conclusões actuais totalmente dispares das antes transmitidas ! A interrogação é...será que o Partido Repúblicano admitia que um individuo tão instável fosse o candidato preferido ?

comentários mais recentes
Anónimo 12.04.2017

Grande Trump. Afinal parece que todos passaram a ouvir os EUA outra vez e a querer verdadeiramente negociar. Longe vai a triste imagem de medroso que o Obama passava ao mundo e as consequentes "negociações" ridiculas que anunciava e que diminuiram a influência dos EUA ao ridiculo. Força!!!

O Mundo 12.04.2017

Depois de ler o artigo na integra,mais uma vez fico informado que ter muita informação não é sinónimo de ser bem informado.Isto a propósito do boy Trump.`É que mesmo admitindo que o louro seja excentrico , quase tudo o que divulgaram antes das eleições temos conclusões actuais totalmente dispares das antes transmitidas ! A interrogação é...será que o Partido Repúblicano admitia que um individuo tão instável fosse o candidato preferido ?

00SEVEN 12.04.2017

Sim!
Acredito que haverá dialogo até porque Xi está informado disso mas também é preciso por pressão militar sobre o tresloucado Kim Jong Un!
Nada melhor do que ver uma frota dissuasora para atingir esse objectivo do que ouvir um discurso do Obama cheio de requintes linguísticos preparado por um profissional escritor de discursos políticos!

pub