Saúde Presidente da Apifarma: Genéricos são demagogia? "Às vezes parece um bocadinho"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Presidente da Apifarma: Genéricos são demagogia? "Às vezes parece um bocadinho"

Na Conversa Capital, um espaço de entrevista conjunto entre o Negócios e a Antena 1, o presidente da Apifarma sustenta que a quota dos genéricos em Portugal é muito maior do que se apregoa. Segundo João Almeida Lopes, a questão dos genéricos em Portugal tem sido sempre tratada "em termos políticos".
A carregar o vídeo ...
Celso Filipe Rosário Lira 17 de setembro de 2017 às 22:50

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, estabeleceu como meta para os genéricos que seja atingida uma quota superior a 50% do mercado dos medicamentos. Isto é exequível?

A questã

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 18.09.2017

Os que estão contra os genéricos que vão comer nel culo. A introdução dos genéricos teve pelo menos uma grande vantagem-fazer baixar o preço das marcas. Por ex.: o lyrica custava 50 e tal euros, passou para baixo dos 15. Agora até já há medicamentos de marca mais baratos que os genéricos. E ainda vão ter que baixar mais a cuequinha!

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub