Ásia Presidente da Coreia do Norte informado sobre plano para disparo de mísseis próximo de Guam

Presidente da Coreia do Norte informado sobre plano para disparo de mísseis próximo de Guam

O Presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, foi informado sobre um plano para disparar mísseis próximo da ilha norte-americana de Guam, no oceano Pacífico, noticiou hoje a agência oficial norte-coreana.
Presidente da Coreia do Norte informado sobre plano para disparo de mísseis próximo de Guam
Reuters
Lusa 15 de agosto de 2017 às 07:39
Kim Jong-Un "reviu o plano durante um longo tempo" e "discutiu" com altas patentes militares durante uma inspecção que fez na segunda-feira ao centro de comando da Força Estratégica encarregue da Unidade de Mísseis, noticiou que a agência KCNA, citada pela AFP.

O Exército norte-coreano anunciou na semana passada que finalizaria até meados de Agosto um plano detalhado para o lançamento de quatro mísseis que, depois de sobrevoarem o Japão, iriam cair "a cerca de 30 ou 40 quilómetros de Guam" para enviar um "aviso crucial" aos Estados Unidos.

A tensão entre Washington e Pyongyang elevou-se depois da Coreia do Norte ter testado, em Julho último, dois mísseis balísticos intercontinentais (ICBM), capazes de alcançar uma grande parte do território continental dos Estados Unidos.

Reagindo a estes lançamentos, o Presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou Pyongyang de lançar "fogo e cólera de um modo que o mundo jamais viu".

A Coreia do Norte respondeu tornando público o seu plano de lançamento de mísseis de porte intermédio nas proximidades da ilha de Guam.

A Coreia do Norte possui armas nucleares e desenvolve diversos programas de mísseis, violando várias resoluções do Conselho de segurança da ONU.

A guerra de declarações entre Pyongyang e Washington suscitou uma grande preocupação internacional.

O Presidente da China, Xi Jin-Ping, apelou à calma entre as duas partes e à contenção, nas suas acções e declarações. Por seu turno, o Presidente sul-coreano, Moon Jae-Intambém apelou na segunda-feira à calma, afirmando que jamais devia voltar a haver uma guerra na península coreana.

A líder da Diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, apelou também na segunda-feira à comunidade internacional para usar "meios pacíficos e não militares" para pôr fim à crise com a Coreia do Norte, que deve por seu lado evitar "qualquer novo ato de provocação".

"Num momento tão crítico, a União Europeia apoia o trabalhado diplomático com os nossos parceiros tendo em vista diminuição da tensão, e uma desnuclearização completa, verificada e irreversível da península coreana por meios pacíficos e não militares", afirma Mogherini em comunicado.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 dia

Eis o ídolo que Maduro procura imitar ...Força Maduro, sempre contigo mesmo até ao inferno, coño su madre.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub